TCE Abril 25 a 29/04
(67) 99826-0686
ENTREGAS

Briga generalizada no 'Bar da Dora' termina na delegacia em Sonora

Teve disparo de arma de fogo e agressão física, duas pessoas ficaram ferias. Ao todo, 10 pessoas estavam envolvidas

11 SET 2016
Rodson Willyams
11h29min
Foto: Reprodução / Google

Moradores da Rua do Engenho acionaram a Polícia Militar para controlar uma briga generalizada que aconteceu no 'Bar da Dora', localizado no município de Sonora, distante 356,3 quilômetros de Campo Grande. Na confusão duas pessoas ficaram feridas, sendo uma por disparo de arma de fogo que precisou de atendimento médico e outra por agressão. O caso aconteceu por volta das 15h30 de sábado (10).

Segundo consta no Boletim de Ocorrência, André Cassiano de Jesus, de 36 anos, chegou ao local armado com um revólver de calibre 38, de cano curto da marca Taurus, e apontando a arma para os oito rapazes que haviam feito 'chacota' sobre a sua pessoa. O mesmo ainda teria tirado satisfação com outro homem identificado como Emerson José de Oliveira, de 36 anos, sobre um possível desentendimento ocorrido no Córrego Confusão e que ocasionou o motivo do 'sarro' dos oitos rapazes.

Conforme relatado aos policiais, a história teria começado mais cedo, quando Robson Amelio de Oliveira, de 34 anos teria pedido uma carona para André até ao Córrego Confusão. No entanto, no meio do caminho, em determinado momento, os dois se desentenderam. Um terceiro homem, identificado apenas como Rafael junto com André teriam agredido Robson com chutes e empurrões. André teria afirmado a Robson que iria 'pegar' o seu irmão, Emerson, e disse que aguardaria lá no local, exatamente, no Bar da Dora.

Como combinado, os oito rapazes estavam no local aguardando a chegada de André para resolver o 'assunto', que resultou em dois crimes de tentativa de homicídio. O primeiro do autor que chegou ao local e atirou contra as oito pessoas, mas por erro, acertou o amigo, Pedro Ferreira Lopes, de 41 anos, que teria ido até ao local, para conter a situação, ele acabou atingido no braço e precisou de apoio médico. O segundo crime foi cometido pelos oito homens, que agrediram André mesmo após ter sido desarmado simultaneamente e o deixando gravemente ferido.

Assim que a polícia chegou ao local, a arma foi solicitada e Elenilson entregou o revólver, cujo os policiais constataram haver quatro munições intactas e apenas uma cápsula deflagrada. De acordo com o Boletim de Ocorrência, com exceção de Pedro, Jackson Braz de Oliveira, de 31 anos; Jackson da Cruz Lima, de 29 anos, Janderson da Cruz Lima, de 27 anos, Fábio Alves da Silva, de 30 anos e David Maciel Alves, de 26 anos, foram detidos junto com Emerson, Elenilson e André Cassiano. 

Veja também