TCE JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
segunda, 27 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Interior

Mãe de criança estuprada diz que não participou de chacina, mas gostaria

Jovem até procurou quem vendesse uma arma para cometer o crime, mas negou que tenha presenciado a ação contra o casal

10 maio 2022 - 14h20Por Vinicius Costa

Kelly Tenório de Holanda Costa, de 22 anos, negou ter mandato matar Silvana Inácio Garcia, de 46 anos, e Elias Moreira dos Santos, de 55 anos. Mas afirmou para a polícia que gostaria de estar presente na casa onde tudo aconteceu para presenciar o ataque contra o casal, na madrugada desta segunda-feira (9), em Costa Rica.

A jovem suspeita que a filha de 3 anos foi estuprada por Elias, que está hospitalizado em estado grave. Silvana, segundo os depoimentos, teria acobertado o crime.

Kelly foi presa por supostamente ter incentivado o crime. Para a polícia, ela destacou que não foi até o local com os adolescentes, mas queria estar lá. Segundo ela, os adolescentes envolvidos tomaram suas dores e resolveram ajudá-la com a situação, arrumando a arma usada no homicídio e na tentativa de homicídio.

Em depoimento, a jovem explicou que, no último domingo (8), esteve em um churrasco com alguns amigos e familiares comemorando o Dia das Mães, quando decidiu dar banho em sua filha e a criança disse estar com dores na região da genitália. A mãe questionou o porquê de estar doendo, quando a menina apontou que a região estava assada e havia uma vermelhidão no local.

Quando conseguiu identificar o problema, a sua filha disse que "o vovô estaria passando, mexendo em sua genitália". Ainda de acordo com a versão da criança, a vovó Silvana teria pedido para ela não contar e não falar para ninguém o ocorrido.

Nesse momento, ainda em depoimento, Kelly explicou que ficou furiosa e disse que mataria tanto o homem, quanto a mulher, ficando brava e gritando por vários momentos na casa onde estava. O pessoal da casa, sem entender nada, apenas aguardou e ouviu da jovem que ninguém era para fazer nada, porque ela "iria cobrar" o casal.

A jovem, então, decidiu ir atrás de algumas pessoas para comprar um revólver e ainda teria sacado R$ 2 mil em espécie para pagar pela arma, mas não encontrou ninguém acessível naquele momento. Esperando uma atitude do pai da criança, preso em Paranaíba, Kelly disparou dizendo que "se você não cobrar, eu vou cobrar".