Menu
sábado, 16 de janeiro de 2021
Interior

PT expulsa dirigente investigado por estuprar afilhada e a irmã dela em Aquidauana

Ele havia sido afastado da legenda em 31 de dezembro do ano passado

13 janeiro 2021 - 20h47Por Thiago de Souza

O Partido dos Trabalhadores de Aquidauana decidiu, nesta quarta-feira (13), expulsar um de seus dirigentes, investigado por abusar da própria afilhada, quando ela era criança, na cidade Pantaneira. 

O suspeito tem 50 anos e é professor na cidade. O nome dele será preservado para não ser associado à vítima e identifica-la. 

Segundo nota do PT, a expulsão está amparada em dois artigos do estatuto da legenda, o 246 e o 63. O primeiro diz: ‘’Havendo fortes indícios de violação de dispositivos pertinentes à disciplina e à fidelidade partidária passíveis de repercussão prejudicial ao Partido em nível estadual ou nacional; ou em casos de urgência, quando o representado ou representada poderá frustrar o regular processo ético; ou quando a demora puder tornar a aplicação da penalidade ineficaz.”, bem como o Artigo 63 do Código de Ética’’. 

No dia 31 de dezembro do ano passado, o partido afastou o suspeito e na época já havia cogitado a expulsão caso as denúncias fossem comprovadas. 

O diretório do partido em Aquidauana destacou, em nota, que ‘’...reforça o compromisso aos princípios éticos para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária, bem como o seu dever de combater, por todos os meios ao seu alcance, a exclusão social, a desigualdade, e quaisquer formas de discriminação quanto ao sexo, à raça, à etnia, à religião, à condição econômica, à atividade profissional, às convicções políticas, a qualquer condição de deficiência, de idade, de orientação sexual, bem como os atos de assédio moral, sexual, a pedofilia, a violência doméstica e outros da mesma natureza’’. 

O caso é investigado pela Delegacia de Atendimento à Mulher, em Aquidauana. 

O crime

Os crimes do professor e dirigente partidário vieram à tona quando a vítima, que hoje mora em Campo Grande, foi passar um final de semana na casa da mãe, em Aquidauana. Lá, ela voltou a encontrar o criminoso que é amigo de confiança e de longa data da família. Ela teve uma crise de pânico e a amiga dela resolveu contar o segredo para a mãe. 

Segundo as denúncias, os abusos começaram quando ela tinha 8 anos. Em razão dos ataques, a vítima sofreu depressão, teve crises e tentou suicídio por várias vezes. Nessas ocasiões, diz ela, quem a levava para o hospital era justamente o agressor, tamanha a confiança que a família depositava nele. 

A garota abusada detalhou que chegou a se masculinizar, na tentativa que o agressor perdesse o desejo por ela, mas isso não teria adiantado. 

A irmã da vítima, que tem 15 anos, também revelou ter sido abusada. O caso já chegou à Delegacia da Mulher em Aquidauana.