domingo, 14 de julho de 2024

Busca

domingo, 14 de julho de 2024

Link WhatsApp

Entre em nosso grupo

2

WhatsApp Top Mídia News
Interior

23/09/2016 19:45

Saúde confirma dois primeiros casos de microcefalia por Zika na grande Dourados

Um dos casos foi confirmado ainda durante a gravidez, por meio de ultrassom

Foram confirmados dois casos de bebês com microcefalia em Dourados e Caarapó, nesta sexta-feira (23), pelo Ambulatório de Investigação de Zika Vírus do Hospital Universitário da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados).  

O primeiro registro foi constatado ainda durante a gravidez, por meio de exame de ultrassom, numa paciente moradora de Dourados. O segundo caso é de uma paciente que mora em Caarapó, e as alterações só foram constatadas após o nascimento do bebê. Ambos os casos continuam em acompanhamento pela equipe multiprofissional do Ambulatório de Zika.  

Os casos

Segundo o Dourados News, a paciente de Dourados tem 25 anos de idade e procurou o Ambulatório em maio, com sete semanas de gestação, apresentando sintomas sugestivos de zika: vermelhidão na pele, febre e coceira pelo corpo. Foram coletadas amostras de sangue e urina, sendo confirmada a presença do vírus no exame de sangue (por uma técnica denominada RT-PCR).

Agora em setembro, já com 21 semanas de gestação, um exame de ultrassom mostrou que o feto tem diversas alterações compatíveis com a infecção pelo zika vírus. "O exame de imagem mostrou que o bebê apresenta microcefalia, hidrocefalia, mãos e pés tortos congênitos, que estão, de fato, associados à infecção pelo vírus", informou o infectologista Júlio Croda, coordenador do Ambulatório de Zika do HU-UFGD.

A paciente de Caarapó tem um histórico semelhante. Ela foi atendida no Ambulatório em fevereiro, com oito semanas de gestação, apresentando os sintomas de zika. Foi coletado sangue e o exame confirmou a infecção.

Os exames de ultrassom realizados no decorrer da gravidez não mostraram alterações no bebê. A criança nasceu dia 12 de agosto e então foi constatada a microcefalia, além de outras alterações, como aumento do tamanho do rim esquerdo e má-formação no pé direito. 

Acompanhamento

Para garantir atendimento adequado aos bebês que nasçam com microcefalia e outras alteração decorrentes da infecção pelo zika vírus, o Ambulatório de Zika do HU-UFGD estabeleceu um acordo com a Clínica de Fisioterapia da Unigran.

Tanto o bebê de Caarapó, nascido em agosto, quanto o que ainda vai nascer em Dourados já estão sendo encaminhados para os atendimentos, que incluem hidroterapia e equoterapia, além de todo o protocolo estipulado pelas Diretrizes de Estimulação Precoce para bebês com microcefalia, lançadas em janeiro deste ano pelo Ministério da Saúde.

 

 

 

 

Loading

Carregando Comentários...

Veja também

Ver Mais notícias
AMIGOS DA CIDADE MORENA ABRIL NOVEMBRO