quarta, 29 de maio de 2024

Busca

quarta, 29 de maio de 2024

Link WhatsApp

Entre em nosso grupo

2

WhatsApp Top Mídia News
Sucursal Pantanal

02/09/2017 13:30

Aos 12 anos, aquidauanense se destaca no badminton e vai representar MS em competição nacional

Tido como 'garoto prodígio', adolescente ajuda a divulgar esporte pouco conhecido no Estado

Ele tem apenas 12 anos e já sabe o que é ser um campeão. Na escola Municipal Marly Russo, no Bairro Nova Aquidauana, Gustavo Oliveira B. Fontes é tido pelos professores como o “garoto prodígio”. 

O aquidauanense conquistou o lugar mais alto do pódio nos JEMS, Jogos Escolares de Mato Grosso do Sul. Ele se consagrou na modalidade de badminton, um esporte pouco divulgado, com alto custo econômico e conhecido como “jogo de raquete com petecas”. Foi nos dias 11, 12 e 13 de agosto que o atleta competiu com estudantes de todo o Mato Grosso do Sul, vencendo cinco chaves e ganhando o troféu. Com o feito, Gustavo conquistou a vaga para representar MS no Brasileiro Escolar, em Curitiba.

Badminton é uma categoria que quase não há incentivo por parte do governo para a prática do esporte. Mesmo assim, o estudante do 9º ano se interessou e começou a procurar vídeos na internet para se inspirar e aprimorar suas técnicas.

A rotina do vencedor se resume em estudo e treino. Ao menos duas vezes por semana, o atleta vai até a escola no período noturno e, acompanhado do treinador, joga cerca de 1h30min. 

Gustavo agora mira o Brasileiro Escolar

Gustavo se preparou cerca de 5 meses para o campeonato estadual e agora visa ser campeão nacional. Ele conta que não conhecia a modalidade, mas acabou se destacando e criando paixão pelo esporte. Com apoio do Governo do Estado, ele desembarca em Curitiba no mês que vem para defender o Estado na categoria até 12 anos.

Se o competidor ficar entre os 8 melhores no Brasil, o Badminton sobe para a série A no estado.

Treinador

Cleriton Alvarenga Ferreira é treinador e professor de Educação Física da Escola Municipal. Ele conta que nas semanas que antecedem os jogos, o atleta deve preparar mais a parte física e a parte técnica, tornando intensa a capacitação. Quando fala do aluno, Alvarenga é só elogios. 

“O governo do Estado liberou o projeto de Programa Escolar este ano e observei os alunos que se destacavam. Levei oito crianças no campeonato da federação e ele já foi campeão lá. Ele tem envergadura boa e altura boa, ele é diferenciado dos outros alunos que eu tive.”

O treinador ainda conta que, apesar de ser morador de um bairro de alto risco social, o estudante não perdeu o foco no hotel durante a competição estadual, realizada em Campo Grande. 

“ Mesmo com piscina e com tudo do bom e do melhor, ele só saia do quarto do hotel para treinar.”
 
Família

Alcione Elias de Oliveira, consultora da Natura, exibe com orgulho o troféu que o filho ganhou nos jogos escolares. E, conforme ela, Gustavo não tem comportamento muito diferenciado do que é na escola. A mãe relata que o menino sempre foi centrado e, quando começou a jogar o badminton, já sabia que era aquilo que queria.

“Ele chegava aqui em casa bravo porque as outras crianças não levavam tão a sério. Eu incentivava e dizia pra ele fazer a parte dele, e deu certo.”

Sobre os planos para a carreira esportiva do filho, Alcione prefere não opinar. Ela deixa claro que o estudante tem que fazer o que gosta para que não se torne uma obrigação e sim um lazer. Mas a genitora não esconde a pretensão para o futuro da criança: “Quero que um dia ele seja o Guga do Badminton”.

Loading

Carregando Comentários...

Veja também