Menu
sábado, 15 de agosto de 2020
CORONAVÍRUS

De mofo no pulmão a infecção no coração: sequelas da covid-19 ameaçam 'recuperados'

Presidente Jair Bolsonaro é um dos curados da doença no Brasil

01 agosto 2020 - 17h50Por Vinícius Squinelo, com R7

Cinco dias depois de anunciar que estava curado do coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro disse que sentiu fraquezas e que passou a tomar antibióticos para combater uma infecção no pulmão.

"Também, depois de 20 dias em casa, a gente pega outros problemas. Peguei mofo no pulmão", brincou Bolsonaro em uma de suas lives na internet, na quinta-feira.

Há poucas informações sobre o mais recente problema de saúde do presidente. Sequer existe uma confirmação de que a infecção teria sido consequência direta do coronavírus que o acometeu.

Mas o problema pulmonar de Bolsonaro levanta um debate sobre quando um paciente pode ser considerado "recuperado" ou não da covid-19.

Mesmo que o paciente seja declarado livre da doença, o que se tem observado é que o coronavírus pode provocar sequelas e outros problemas de saúde.

O rótulo de "paciente recuperado" que aparece em diversas estatísticas oficiais sugere que a pessoa conseguiu voltar à sua vida normal sem transtornos, mas isso pode ser enganoso.

Estudos recentes mostram que ainda é preciso investigar mais profundamente quem se recuperou totalmente da doença — e quem segue vivendo com sequelas da covid-19.