Menu
domingo, 03 de março de 2024 Campo Grande/MS
Polícia

Acusado de atirar em adolescente leva esposa e filha ao júri e diz que só queria assustar jovem

Mesmo casado e com a mulher grávida, réu atirou em adolescente por ciúmes de outro rapaz; vítima teve metade do rosto paralisado por bala

15 janeiro 2019 - 10h32Por Anna Gomes

Sendo julgado na manhã desta terça-feira (15), Adalmir Lopes Torres, 24 anos, declarou que atirou na vítima, uma adolescente de 16 anos à época do crime, porque estava com ciúmes dela, mesmo não tendo um relacionamento com a vítima.

A tentativa de homicídio aconteceu no dia 26 de janeiro do ano passado, no Bairro São Jorge da Lagoa, em Campo Grande. No júri, ele levou a esposa, que estava grávida quando houve a tentativa de homicídio, e a filha.

Durante o depoimento, Adalmir alegou que estaria conversando com a vítima pelo WhatsApp. No dia do crime, ambos estavam em uma festa e ele teria visto a jovem conversando com outro rapaz, motivo que teria sido o estopim para o crime.

A vítima também prestou depoimento nesta manhã e disse que ficou com várias sequelas devido ao disparo que a atingiu. Ela conta que ficou 15 dias internada, sendo oito deles em uma UTI. Ao todo, a garota levou mais de quarenta pontos na cabeça e a parte direita de seu rosto ficou paralisada.

A jovem alega ter ficado apenas uma vez com o réu, cerca de um mês antes do crime acontecer.

Mesmo sabendo de tudo, a esposa de Adalmir não se separou, inclusive, compareceu ao julgamento do esposo levando a filha pequena.

Adalmir ainda tentou se defender dizendo que queria dar "um susto" na vítima e ressalta que apertou o gatilho da arma "sem a intenção", mesmo abandonando a festa, indo até a sua casa para pegar o revólver e retomando em seguida na confraternização onde os fatos aconteceram.

Com este crime, o réu já soma duas tentativas de homicídio e um homicídio nas costas.