(67) 99826-0686

Após briga de amigos, família diz que músico foi 'pilhado' por terceiros e defende comerciante

Parentes do comerciante de artes suspeitam que o músico, baleado, estaria sob efeitos de substâncias químicas

7 OUT 2016
Rodson Willyams
11h38min

A família do comerciante Fauez Mohamed Ayueb, de 50 anos, afirma que ele foi provocado com xingamentos e perseguido pelo ex-integrante do Grupo Acaba, Eduardo Lincoln Gouveia, 60 anos. As testemunhas ainda afirmaram que Fauez, como é conhecido, jamais teve a intenção de atirar contra o músico e que a ação só foi tomada em legítima defesa, após o comerciante tomar conhecimento de que Lincoln estaria em posse de uma pistola.

A defesa de Fauez contesta algumas informações divulgadas pela imprensa, inclusive, feitas pela família do músico por meio das redes sociais, principalmente de que o comerciante tentou assassinar Lincoln. "Isso não é verdade. Os dois estavam em um bar, Fauez não quis assassinar ninguém, ele apenas atirou para se defender. Se quisesse fazer alguma coisa, teria feito mais disparos. Ele já se apresentou à polícia, entregou a arma e agora deve responder pelo crime que praticou. Mas tudo isso que estão falando não é verdade".

Os membros da família ainda afirmaram que assim que o músico chegou ao bar, na quarta-feira (5), para novamente tomar satisfação, já teria partido para a agressão pessoal. Testemunhas e amigos chegaram a alertar o comerciante, que Lincoln poderia estar armado com uma pistola e, por isso, Fauez sacou a arma de fogo e realizou um disparo, que acabou atingindo o músico no abdômen. A ação seria em legítima defesa.

A família do comerciante afirma que prestou auxilio, inclusive, no apoio à cirurgia do músico. "Nós chegamos entrar em contato com o diretor-presidente da Santa Casa, Esacheu Cipriano Nascimento, para que o músico fosse bem atendido. Falamos até com amigos nossos, médicos que trabalham na Santa Casa. Ou seja, foi uma fatalidade o que aconteceu. E acredito que o Lincoln não estava bem, talvez sob efeitos de substâncias químicas, mas nossas famílias são amigas, foi algo entre eles. Mas lamentamos muito o ocorrido".  

A dupla tem 35 anos de amizade e estava em uma festa no último domingo (2), quando acabou brigando. A discussão prosseguiu ao longo dos dias e terminou na noite da última quarta-feira (5), em um bar da Capital. Os familiares, que não quiseram se identificar, afirmam que o músico chegou a declarar que pegaria uma pistola, para resolver a questão após ser ‘pilhado’ por terceiros. Apesar de alegar envolvimento de outras pessoas, ninguém foi apontado pela família. 

Veja também