Tribunal de Contas
(67) 99826-0686
Camara - marco

Após interdição de presídios, Wantuir Jacini anuncia medidas para conter superlotações em MS

Presídios

6 NOV 2013
Ana Rita Chagas
10h28min
Foto: Geovanni Gomes

O Secretario de Estado de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, Wantuir Jacini informou nesta quarta-feira (6), que o governo de Mato Grosso do Sul prevê medidas para conter a superlotação em presídios do estado. Segundo o secretário, até março de 2014 serão abertas mais 150 vagas em quatro cidades do interior,  Corumbá, Dourados, Rio Brilhante e Amambaí, além de contratação de cerca de 300 novos servidores estaduais para integrar no quadro de agentes penitenciários. 


Segundo Wantuir Jacini, na Capital, as iniciativas de combate à superlotação serão tomadas com apoio da União. "Nós já estamos em tratativa com o governo federal para  construir três presídios em Campo Grande. Os recursos para a construção desses presídios serão oriundos de projetos que estão sendo analisados" afirmou o secretário durante entrevista para o Bom Dia MS.

Interdição -  Na última segunda-feira (4), o Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul (MPE/MS) interditou cincos presídios em Campo Grande, alegando precariedade nos locais. A determinação foi emitida pelo juiz de Direito da 1ª Vara de Execução Penal de Campo Grande, Gil Messias Fleming.

No documento que estabelece a interdição constam o Estabelecimento Penal Feminino Irmã Irma Zorzi (EPFIIZ), Instituto Penal de Campo Grande (IPCG), Centro de Triagem “Anízio Lima” (CT), Presídio de Trânsito de Campo Grande (PTRAN) e o  Estabelecimento Penal “Jair Ferreira de Carvalho” (EPJFC). "Não fomos ainda notificados dessa decisão judicial, mas a decisão carece de ser homologada ainda, disse.

Quanto à superlotação e assistência irregular, o secretário alegou que a falta de condições adequada nos presídios é um problema nacional. "Mais de 500 mil presos estão em 200 mil vagas de presídios, nos 27 estados brasileiros. Existe uma superpopulação carcerária, mas isso não só um problema de Mato Grosso do Sul. É um problema do Brasil.  Mas medidas estarão sendo implementadas a partir de março de 2014.

Veja também