Menu
segunda, 21 de setembro de 2020
Polícia

Câmeras registraram início da ação de segurança contra rapaz que morreu asfixiado

Segurança nega ter apertado vítima pelo pescoço e diz ter 'apenas' mantido peso sobre jovem. Rapaz cai duas vezes antes de ser imprensado no chão por vigilante

16 fevereiro 2019 - 08h00Por Da redação / G1

Imagens de câmeras de segurança do supermercado Extra obtidas com exclusividade pela TV Globo mostram o início da confusão que terminou com a morte de Pedro Henrique Gonzaga, de 25 anos. O jovem morreu após ser estrangulado com um golpe de "mata-leão", também conhecido como "gravata", do segurança Davi Ricardo Ribeiro, no início da tarde de quinta-feira (14).

O vídeo mostra Pedro correndo em direção ao vigilante, que está parado junto a outro funcionário do supermercado próximo à entrada do estabelecimento. Eles parecem conversar por alguns instantes e uma mulher se aproxima. Em seguida, Pedro Henrique cai no chão.

O funcionário do estabelecimento e o segurança levantam o rapaz, mas a confusão continua e ele cai uma segunda vez. Em outro vídeo compartilhado em redes sociais é possível ver o jovem sendo imobilizado. Bombeiros ainda tentaram reanimar Pedro Henrique, mas o jovem não resistiu.

O segurança Davi Ricardo Moreira disse em depoimento à polícia que Pedro Henrique estava nervoso e ameaçava matar todos que estav O vigilante afirmou em depoimento não ter apertado Pedro pelo pescoço e disse que "permaneceu apenas com seu peso por cima da vítima".

"Eles fazem a contenção, retiram a arma e o garoto desmaia. O que se acredita que tenha sido uma simulação naquele momento. O próprio segurança reporta. 'Ele está mentindo, ele está mentindo, ele está simulando um desmaio como anteriormente havia simulado'", diz a defesa.

O segurança foi preso em flagrante, mas deixou a Delegacia de Homicídios da capital na madrugada desta sexta (15) após pagar fiança de R$ 10 mil, segundo a polícia. Davi Ricardo foi indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

'Tá sufocando ele'

Desesperada, a mãe de Pedro Henrique assistiu toda a cena que terminou com o filho morto. Ela contou que estava com uma amiga e o filho no caixa do supermercado quando o rapaz saiu de perto dela. Em seguida, a mãe contou ter visto o filho cair na porta do estabelecimento.

A mulher disse ter ido ao local para tentar levantá-lo e avisou que o Pedro Henrique estava sob efeito de drogas porque, segundo ela, era usuário. Naquele momento, afirma, começou uma briga com os seguranças.

A cena gravada mostra Pedro Henrique desacordado e o segurança deitado sobre ele. Clientes que assistiam fizeram vários apelos para que o vigilante soltasse o rapaz. "Tá sufocando ele. Ele tá com a mão roxa. Ele tá desacordado", diziam pessoas no local. Outro vigilante chega a tentar impedir a gravação do vídeo.

À polícia, a mãe de Pedro Henrique contou que ia levar o filho para fazer um tratamento em uma clínica de reabilitação em Petrópolis, na Região Serrana do estado. Até a manhã desta sexta, a Delegacia de Homicídios já havia ouvido seis depoimentos e recebido as imagens de câmeras de segurança do supermercado.

Leia Também

Mais fácil entrar em Direito na UFMS que ganhar eleição a vereador em Campo Grande
Política
Mais fácil entrar em Direito na UFMS que ganhar eleição a vereador em Campo Grande
Enquete: maioria dos leitores quer toque de recolher mais rígido em Campo Grande
Cidade Morena
Enquete: maioria dos leitores quer toque de recolher mais rígido em Campo Grande
Empresário Carlito Nahas morre de coronavírus em Campo Grande
In Memoriam
Empresário Carlito Nahas morre de coronavírus em Campo Grande
Oi sumida: chuva chega em bairro de Campo Grande e traz alívio a moradores (veja o vídeo)
Cidade Morena
Oi sumida: chuva chega em bairro de Campo Grande e traz alívio a moradores (veja o vídeo)