Solurbe - corrida do meio ambiente 18/04 a 08/05
(67) 99826-0686
Prestação de contas 17/04 a 26/04/2019

Mecânico morto em posto de gasolina deixou filho de 5 anos e tentava reatar casamento

O rapaz foi executado com 15 disparos de pistola .380; polícia investiga possível rixa

8 OUT 2016
Rodson Willyams
15h00min
Delegada Franciele Candotti Santana Foto: André de Abreu

Foi identificado como o mecânico Diego Eufrasio da Silva, de 25 anos, o rapaz executado por 15 disparos de pistola .380, por volta das 5h30 deste sábado (8), em um posto de combustível localizado na Avenida Duque de Caxias, no Bairro Santo Antônio, em Campo Grande.

De acordo com a delegada plantonista, Franciele Candotti Santana, da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, há possibilidade de uma rixa ter motivado o crime. "Nós ainda não temos muitas informações, mas estamos apurando. Mas por enquanto há indícios que ele seria alvo. No local, achamos 20 cápsulas de pista .380. Somente na vítima foram 15, mas no local podem ter sido efetuados aproximadamente 30 disparos. Nós queremos ouvir as outras vítimas para saber se o caso poderia também ser com elas. Então, esse será apurado".

Conforme o Boletim de Ocorrência, Diego foi atingido com um disparo no membro superior esquerdo, três no ombro direito, dois nos glúteos, sete na região do pescoço e dois na cabeça.

A delegada ainda informou que o Serviço de Inteligência da Polícia Civil, o SIG, deverá analisar as imagens de segurança do posto de combustíveis para apurar as causas do crime. O caso será encaminhado para a 7ª DP. 

Foto: Repórter Top

O caso

Testemunhas disseram à polícia, conforme consta no Boletim de Ocorrência, que dois homens chegaram em um veículo Honda Civic, em que não souberam identificar se era de cor prata ou cinza, modelo 2010 e de quatro portas, realizando diversos disparos de arma de fogo.

O primo da vítima, identificado como Raul, disse à polícia que, mais cedo, Diego teve um 'entreveiro' com pessoas durante uma festa realizado no bairro São Conrado. E que após o episódio, por volta das 4h30, Raul e Diego saíram da festa e foram para o posto. Lá ocorreu o crime.

Segundo o Boletim de Ocorrência, o tiroteio fez quatro vítimas, sendo uma fatal e três ficaram feridas. Cada uma delas foi encaminhada para as seguintes UPAs: Santa Mônica, Leblon, e Vila Almeida. Uma delas precisou ser encaminhada para a Santa Casa da Capital depois para realizar cirurgia. Entre elas estava uma adolescente de 17 anos e um terceiro envolvido, que não foi identificado. 

Família abalada

Ainda abalada com a notícia, Simone Eufrasio, de 29 anos, irmã de Diego Eufrasio da Silva, que estava na delegacia, contou que Diego havia separado recentemente da esposa.  'Ele tinha esperança em voltar com a ex-mulher', comentou.  

Simone revelou à reportagem que o irmão era uma pessoa tranquila e não tinha desavença com ninguém. "Ele era um cara muito bom, carinhoso e trabalhador. Não tinha problema com ninguém. Ele tinha esperança de reatar o casamento. E tinha um filho cinco de anos".     

A irmã ainda afirmou que não sabe o que possa ter ocasionado a morte. "Nós não sabemos o que aconteceu. Ele não tinha rixa com ninguém, estava começando a sair agora. O meu primo, o Raul, que sempre estava com ele, está muito abalado, só chora". E declarou: "Ele disse que ia em uma festa e não voltou. Os meus pais estão arrasados", finalizou. 

Veja também