TCE JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
terça, 28 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Polícia

'Está caminhando', diz delegado sobre investigação de agiota morto no Caiobá

Polícia ainda encontra algumas dificuldades, mas investigação sobre José Roberto já reúne pontos importantes

23 junho 2022 - 18h06Por Vinicius Costa

A investigação envolvendo a morte do agiota José Roberto de Souza, de 50 anos, assassinado e queimado em maio deste ano, na região do Portal Caiobá, em Campo Grande, está caminhando conforme as peças se apresentam para a polícia.

Mesmo encontrando algumas dificuldades para avançar em determinadas linhas de atuação, o delegado João Reis Belo, titular da 6° Delegacia de Polícia Civil, e responsável pelo caso, mantém cautela e aponta que a investigação está 'dando trabalho'.

As dificuldades citadas pelo delegado é referente ao local do crime ser considerado um local ermo, de difícil acesso e sem câmeras de segurança e testemunhas que pudessem ter flagrado a ação do autor ou autores.

João Reis explicou ao TopMídiaNews que existem suspeitos, mas que ainda é tudo muito cedo para apontar para apenas um, pois ainda é preciso avaliar algumas informações e nesse caso, ele prefere manter em sigilo para não prejudicar a investigação.

Após um mês da morte, o delegado espera ter novidades nos próximos dias e avançar ainda mais na investigação para concluir o inquérito futuramente.

Agiota não sofria ameaças

José Roberto não tinha problemas pessoais e tampouco vinha recebendo ameaças de possíveis 'clientes', como a Polícia Civil já havia informado.

Por ter um tratamento considerado mais simples e menos contundente como em outras ocasiões de cobradores, a vítima não tinha inimizades e era uma pessoa tranquila. Todas essas informações foram repassadas por familiares ouvidos na delegacia.

O delegado afirmou que ele usava métodos menos radicais e "não era uma pessoa violenta", tanto que a esposa da vítima, em depoimento, relatou que já presenciou o marido negociando uma dívida e entendendo a situação.

As equipes da delegacia seguem apurando e fazendo levantamentos, tentando resgatar os últimos passos e até conversas com outras pessoas para conseguir entender a motivação de sua morte.