Menu
Busca sexta, 03 de julho de 2020
ALMS
Polícia

Filho é suspeito de diariamente xingar a mãe, idosa e cadeirante

O fato foi denunciado pelos vizinhos que estão cansados de ver o sofrimento da idosa de 71 anos

31 agosto 2016 - 13h00Por Anna Gomes

Um homem de 51 anos é suspeito de agredir com palavrões a própria mãe, uma idosa de 71 anos. A genitora é cadeirante e reside com o filho que supostamente a agride. Ambos moram em uma casa, localizada na Rua Minas Gerais, na Carolina, em Jardim, município distante aproximadamente 200 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com o boletim de ocorrência, cansados de ouvirem as ofensas que a idosa sofre, os vizinhos resolveram procurar a polícia para relatarem os maus tratos que a mulher aguenta diariamente.

Ainda segundo o registro policial, uma testemunha relatou que o filho sai da residência às 10h e volta as 13h, basta chegar à residência para o homem passar a xingar e humilhar a própria mãe todos os dias.

Conforme os vizinhos as ofensas são frequentes e a situação da idosa ficou ainda pior após ela sofrer um acidente doméstico há cerca de três anos. Hoje em dia, a vítima se encontra em uma cadeira de rodas, fato este que talvez impossibilite a mulher a denunciar o filho.

A vizinhança relata que já ouviram o homem xingar a mãe com palavrões, além de dizer que na cabeça da idosa 'só tem merda'.

O caso foi registrado como maus tratos na DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher) de Jardim.

Leia Também

Com droga e bebedeira, 'baile da covid' rola solto na Fábio Zahran
Cidade Morena
Com droga e bebedeira, 'baile da covid' rola solto na Fábio Zahran
Casal encontra R$ 2,4 mil na rua, faz campanha e encontra o 'dono': 'era um motoboy'
Geral
Casal encontra R$ 2,4 mil na rua, faz campanha e encontra o 'dono': 'era um motoboy'
Maia diz que impeachment só acontece quando o vice-presidente apoia
Geral
Maia diz que impeachment só acontece quando o vice-presidente apoia
No Canguru, 'festa da covid' segue dia e noite e vizinha não sabe mais o que fazer
Cidade Morena
No Canguru, 'festa da covid' segue dia e noite e vizinha não sabe mais o que fazer