TJMS JANEIRO
Menu
quinta, 20 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Polícia

Giroto e Maria Wilma já passaram pelo Imol e seguem detidos no Garras

12 novembro 2015 - 15h04Por Rodson Willyams e Dany Nascimento

O ex-secretário do Ministério dos Transportes, Edson Giroto, e a ex-presidente da Agesul, Maria Wilma Casanova Rosa, conseguiram despistar a imprensa, com uma 'ajudinha' dos agentes da Polícia Civil para fazer o exame de corpo de delito na sede do Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal). A dupla foi encaminhada por volta das 12h30 desta quinta-feira (12), enquanto os jornalistas deram uma pausa para o almoço. 

Mais cedo, enquanto os profissionais estavam de plantão no local, os agentes da Polícia Civil afirmaram que os dois só seriam encaminhados para o Imol depois das 14 horas, horário que o Imol supostamente voltaria do almoço. Assim que os jornalistas dispersaram, a dupla foi levada para fazer o exame no órgão.  

Maria Wilma e Edson Giroto chegaram a conseguir uma liminar favorável, durante a madrugada de quarta-feira  (11), mas ela acabou cassada pela Justiça na noite de ontem (11). Por volta das 6 horas de hoje, os dois se apresentaram na sede do Garras, onde deverão cumprir o terceiro dia da prisão temporária.

Segundo o delegado, havia a possibilidade de Maria Wilma ser transferida para a 2ª Delegacia de Polícia, local em que ela foi encaminhada pela primeira vez antes de conseguir o Habeas Corpus, no entanto, os agentes decidiram pela permanencia dela em uma das celas do Garras.

Mais cedo, o advogado Valeriano Fontura, que defende a dupla chegou a declarar ao TopMídia News que tentou fazer com que os promotores da Força Tarefa ouvissem os seus clientes, porém, o ato foi negado. Ao todo nove pessoas cumprem a prisão temporária no prazo de cinco dias, que pode ser prorrogada por mais cinco, caso seja necessário.