(67) 99826-0686

Homem mata idoso a marretadas e gasta dinheiro com prostitutas

Suspeito foi detido andando tranquilamente pelas ruas da cidade

13 SET 2016
Anna Gomes
10h52min

O pedreiro Paulo Ismael Miranda Arua, 39 anos, foi preso três meses após covardemente matar o idoso Rubens Alegria, 73 anos, a marretadas. O crime aconteceu no dia quatro de junho deste ano na Avenida Gunter Hans, no Bairro São Jorge da Lagoa em Campo Grande. Paulo foi detido no último dia oito deste mês andando tranquilamente pelas ruas da cidade.

Conforme o delegado Reginaldo Salomão da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos), Paulo usou uma marreta para cometer o crime, esperou o idoso virar as costas e desferiu dois golpes na cabeça da vítima. Após o homicídio, Arua roubou o idoso e em seguida, foi para um bar, onde ingeriu bebidas alcoólicas e a noite com o dinheiro e o carro de Rubens, o autor foi até uma casa de prostituição.

Ainda conforme o delegado, Rubens morava sozinho e segundo tinha como mania, manusear dinheiro perto de desconhecidos. Paulo estava trabalhando para uma empreiteira que prestava serviços próximo a casa do idoso.

Paulo disse a polícia, que ouviu uma conversa da vítima relatando que tinha uma certa quantia em dinheiro. Em um crime possivelmente premeditado, na manhã do dia quatro de junho, Rubens estava saindo de sua residência para fazer exames, Paulo que já estava no aguardo da vítima, disse que faria um serviço na casa do idoso. Sem desconfiar de nada, o Rubens achou que não havia problemas e seguiria fazendo seus afazeres normalmente.

Ao virar as costas para o suspeito, o idoso recebeu dois golpes de marreta na cabeça e morreu no local. Paulo fugiu levando o carro da vítima, um Chevrolet Celta e a quantia de R$ 500. 

Após cometer o bárbaro crime, com o dinheiro da vítima, o suspeito foi até um bar e depois a uma casa de prostituição. Paulo usou o veículo até acabar a gasolina e em seguida, abandonou o carro na região do Coophasul.

Rubens foi encontrado morto pela mulher e a filha de 14 anos que residem em outra cidade do Estado, mas foram até o local após não conseguirem manter contato com o idoso.

Mostrando ser muito frio, Paulo confessou o crime e disse que cometeu o homicídio em 'um segundo de bobeira'.

Veja também