TCE MAIO
TJMS MAIO
Menu
segunda, 23 de maio de 2022 Campo Grande/MS
GOV EMPREGO MAIO
Polícia

Família do crime: jovem preso com carros roubados é irmão de assassino de Wesner

Rapaz foi preso junto com um comparsa no Bairro Universitário

17 agosto 2018 - 07h00Por Anna Gomes

Rodrigo Larrea da Silva foi preso com vários carros e peças de veículos roubados na casa onde mora, no Bairro Universitário, em Campo Grande. Ele é irmão de Willian Henrique Larrea, um dos acusados de assassinar Wesner Moreira da Silva, que morreu aos 17 anos após ter uma mangueira de compressor de ar introduzida em seu ânus.

O último a cometer delitos foi Rodrigo. Ele acabou sendo preso com um comparsa na noite da última sexta-feira (10), pelos policiais civis da Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos).

Conforme o delegado titular da delegacia, Bruno Urban, Rodrigo estava com um rapaz, identificado como Daniel da Silva Santos. Na casa, foram apreendidos três veículos e peças de carro, como rodas, bancos e até um microscópio.

(Objetos roubados encontrados com Rodrigo)

Os policiais notaram ainda, na residência, que o microscópio, avaliado em R$ 8 mil, e outros equipamentos foram roubados da empresa Indústria Passatempo, de Maracaju. A dupla foi presa.

O delegado disse para a reportagem do TopMídiaNews que Rodrigo foi solto após pagar fiança de um salário mínimo, já Daniel não pagou e foi encaminhado para o presídio.

(Wesner morreu aos 17 anos)

Irmãos do crime

O irmão de Rodrigo, Willian, se envolveu em um dos crimes que mais chocou a população Campo-grandense. Ele é um dos acusados de matar o adolescente Wesner em fevereiro do ano passado, em um lava-jato da Capital.

Na época, Wesner chegou a ser encaminhado para o hospital, onde ficou internado. Mas, devido a gravidade do ferimento, ele acabou morrendo na Santa Casa. O caso gerou grande revolta na cidade. A população chegou, inclusive, a colocar fogo no estabelecimento onde o crime aconteceu.

(Willian e Thiago, acusados da matarem Wesner)

Mesmo após um ano e meio da morte do adolescente, Willian e seu comparsa, Thiago Demarco Sena, que também teria segurado o menor para cometer o crime, ainda não foram presos.

(Mãe de Wesner ainda espera por Justiça)

Na última semana, a Justiça determinou que os acusados terão que pagar um valor mensal à família de Wesner de R$ 636. No entanto, o irmão da vítima lamenta receber o dinheiro quando, na verdade, gostaria é de ver a dupla assassina atrás das grades. Os acusados recorrem da sentença.