Menu
segunda, 02 de agosto de 2021
Polícia

Jovem denuncia nas redes sociais padrasto por tortura e estupro

Segundo os relatos publicados pela vítima, os abusos tiveram início aos 12 anos de idade

20 fevereiro 2019 - 16h16Por Da redação / Isto É

Uma jovem de 21 anos de Camaçari, Bahia, usou as redes sociais para denunciar que ela e a mãe foram violentadas e torturadas durante anos pelo padrasto. Segundo o G1, o homem foi preso e negou as acusações para a Polícia Civil. Segundo os relatos publicados por Eva Luana da Silva, o “caos” teve início quando ela tinha 12 anos. Ela conta que a mãe era constantemente vítima do companheiro e que ela passou a ser alvo dele também.

 “Minha mãe era agredida, abusada, violada e torturada quase todos os dias. Meu padrasto era obsessivo e ciumento com ela. Resumindo de uma maneira geral, ela era agredida com chutes, joelhadas, objetos. Era abusada sexualmente de todas as formas possíveis(…) Ele começou a me abusar sexualmente. Eu tinha nojo, repulsa, ódio e não entendia por que aquilo acontecia comigo. Me sentia uma criança estranha e diferente das outras.”

Eva relata que aos 13 anos chegou a prestar queixa contra o padastro. “O Estado falhou a tal ponto, que o meu caso não chegou nem ao Ministério Público. Fui obrigada a retirar a queixa por ameaças do meu padrasto. Ele utilizou o poder financeiro pra comprar a liberdade e comprar a minha alma. Porque ali eu perdi a minha alma. E o que eu fui denunciar, 1 ano de sofrimento, se multiplicou em mais 8 anos”, relatou.

A jovem revela que sofreu abortos por conta das agressões do padrasto. “Ele me agredia nos estupros, mas depois de um tempo, só utilizou das ameaças contra a minha família. Eu era usada como um lixo. Já abortei diversas vezes. Nunca pude ir ao médico pra fazer curetagem. Todas as vezes sangrava e passava mal a noite inteira. Já vi os bebês inteiros no vaso sanitário. Eu era chamada de burra, anta, doente, demente todos os dias, e era obrigada a repetir isso pra mim mesma.”

Eva conta que decidiu denunciar o padrasto e pedir ajuda porque “ou ele mataria ou eu me mataria”. “Tentei me suicidar várias vezes com cortes e remédios. Eu contei a verdade pois não aguentava mais”. Após as postagens, ela recebeu diversas mensagens de apoio, como da atriz Kéfera Buchmann.