TJMS JANEIRO
Menu
quinta, 20 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Polícia

Com histórico de agressões, professor é investigado por assediar adolescente em escola

Professor teria mandado mensagens de cunho sexual e até fotos pornográficas para a menor

10 agosto 2018 - 18h10Por Kerolyn Araújo

O professor de educação física de uma escola estadual de Anastácio, cidade distante a 145 quilômetros de Campo Grande, é suspeito de assediar uma aluna por meio do aplicativo WhatsApp. O caso foi denunciado pela família da vítima ao Ministério Público Estadual.

Conforme a denúncia, o professor, que tem 39 anos, pediu o número do telefone da aluna para comunicar sobre treinos escolares, porém teria começado a assediar a menor por meio do WhatsApp. Segundo a mãe da adolescente, o suspeito mandou diversas mensagens de cunho sexual, além de mandar foto do órgão genital.

A família da vítima procurou a escola e apresentou à diretoria as mensagens e fotos enviadas pelo professor. Apesar das provas, o caso foi apenas registrado em uma Ata e nada foi feito para punir o suspeito.

Ainda segundo a denúncia, a família começou a receber ameaças do professor para que não levassem o caso à polícia. Ele ainda teria dito que os policiais da cidade eram seus amigos e, com isso, nada aconteceria. 

O caso foi denunciado pela família da menor ao Ministério Público Estadual.

O TopMídiaNews entrou em contato com a Secretaria Estadual de Educação (SED) para saber se a denúncia está sendo apurada. Segundo a Secretaria, a diretora da escola informou que não há registro da situação relatada e alegou sequer ter recebido reclamações ou denúncias envolvendo os profissionais da unidade em tais fatos. 

Agressão física

Em abril de 2018, a então namorada do suspeito procurou a polícia para denunciar uma agressão. Segundo o boletim de ocorrência, durante uma discussão, a vítima teria sido agredida pelo suspeito com tapas e socos. O caso teria ocorrido na casa do professor, em Aquidauana.