GOV AGEMS
Menu
quarta, 08 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
TRE
Polícia

Mulher é agredida por homem dentro de ônibus coletivo da Capital

Ele chegou a ser detido, mas logo em seguida saiu pela porta da frente da delegacia

06 novembro 2018 - 09h50Por Anna Gomes

Uma mulher de 35 anos, foi agredida dentro de um ônibus coletivo, na noite desta segunda-feira (5), em Campo Grande. O suspeito, Marcos Antônio Ribeiro, 36, chegou a ser detido, mas foi liberado logo após ‘prestar esclarecimentos’.

Segundo o boletim de ocorrência, a vítima alegou que entrou no ônibus e sem motivo algum, Marcos deferiu um chute contra a mulher que ficou com hematomas. Ela diz não conhecer o suspeito que dizia palavras desconexas aparentando ter algum distúrbio psicológico.

A vítima desceu do coletivo e ao chegar em sua residência contou para o esposo o que havia acontecido. Ambos foram até o Terminal Bandeirantes e relataram o que havia acontecido para a Polícia Municipal.

Marcos foi localizado pela polícia, mas foi liberado após prestar esclarecimentos e anuir o Termo de Compromisso e Comparecimento. O caso foi registrado como Lesão Corporal Dolosa na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Bairro Piratininga.

MAIS UMA MULHER AGREDIDA 

Não é a primeira vez que mulheres são agredidas por homens que, aparentemente possuem problemas psiquiátricos. No trânsito, várias vítimas já denunciaram que são alvos, mas reclamam que não adianta fazer uma denúncia, já que os suspeitos nunca ficam presos.

Há alguns meses, o TopMídiaNews vem mostrando outros relatos de agressões cometidas por homens que pedem esmolas nos semáforos, perambulam pelas ruas e agora, ficam dentro dos ônibus coletivos.

Em setembro deste ano, outra mulher disse que estava parada em um sinal com os vidros baixos, um morador de rua se aproximou e, sem dizer nada, desferiu um soco contra o rosto da vítima que chegou a sangrar.

Há aproximadamente três meses, outra vítima também denunciou que estava em seu carro e um homem também se aproximou tentando encostar as mãos no rosto da mulher. “Por sorte, os vidros do carro não estavam totalmente baixos, consegui rapidamente acelerar o carro e fugir. Lembro que ele ainda me disse que era estuprador e fiquei com muito medo”, lembrou.

No mês passado uma jovem contou que teve seu veículo destruído por um morador de rua. Conforme os relatos, o homem, sem motivos, teria atacado o carro da mulher com vários socos amassando toda lataria do automóvel.

A denunciante diz que chamou a polícia e os agentes teriam dito que o homem já seria um ‘velho conhecido’. Para a vítima, os policiais ressaltaram que o suspeito é usuário de drogas e que teria problemas psiquiátricos. Ou seja, mesmo que fosse levado preso, ele ficaria apenas algumas horas na delegacia e voltaria para as ruas.