TJMS JANEIRO
Menu
domingo, 23 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Polícia

Nasce filho de padre com coroinha e investigação policial será arquivada

03 novembro 2015 - 15h12Por Mariana Anunciação

Nasceu na semana passada o bebê fruto do relacionamento entre o padre Jocerlei José Tavares e a coroinha de 16 anos, que iniciou na Paróquia Santa Rita de Cássia, do Bairro Universitário, em Campo Grande. De acordo com a delegada da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), Daniela Kades, provavelmente o caso será arquivado.

Além disso, até as denúncias sobre o padre ter 'corrompido' a jovem por meio de imagens pornográficas foram 'por terra', já que o laudo comprovou o contrário. “Recebemos o laudo técnico do celular da menina, não houve conversas apagadas. Foram apenas três mídias recuperadas, mas nenhuma de cunho pornográfico. São duas fotos dela e uma do padre”, destacou a delegada.

A análise foi feita no Instituto de Medicina e Odontológica Legal, por meio de equipamentos modernos. Os mesmos aparelhos estão sendo utilizados recentemente nas investigações do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) para apurar denúncias de irregularidades no âmbito político.

A delegada informou que estava pensando em devolver o aparelho nesta semana para terminar as análises de textos, pois são muitas. Mas ela primeiramente irá avaliar a precisão disso, já que a denúncia era apenas sobre as mídias. “A mãe e as tias contaram que a menina disse que o padre a estava induzindo por meio de vídeos e imagens. Mas isso não condiz”, explicou.

Autuação

É válido lembrar que o inquérito não configura como estupro de vulnerável, já que ela tinha mais de 14 anos, portanto, a delegada acredita que o padre não vai ser autuado. “O único caso em que alguém 'de maior idade' se envolve com menores de 14 e 18 anos e não interessa se a vítima quis ou não o relacionamento é no crime de prostituição, daí o autor responde por favorecimento. O que não é o caso, tudo indica que foi consensual. Acredito que ele não responderá judicialmente”, destacou.

Além disso, o padre colaborou a todo o momento, sendo ouvido, fornecendo o nome dos motéis e, analisadas, as declarações de ambos “bateram”. Mesmo assim, o relacionamento repercutiu negativamente na mídia e em sua vida, já que Jocerlei foi afastado da Igreja.

Kades contou ainda, que apesar do término da relação, o padre continua prestando suporte à família. “O menino nasceu semana passada. O padre continua dando toda a assistência possível à família. Fez depósito em dinheiro para o parto e está dando um auxilio mensal para o bebê”.