Menu
quinta, 24 de setembro de 2020
Polícia

Pai de menina achada morta confessa que ocultou corpo da filha

Suspeito disse à polícia que enterrou o corpo em um imóvel da família depois de encontrar a menina morta no quarto dela

29 abril 2019 - 10h24Por G1

O pai da menina que foi encontrada morta no quintal de uma casa em Rolândia, no norte do Paraná, Ricardo Seidi, confessou à Polícia Civil que enterrou o corpo da filha em uma casa que pertencia a família ainda na quarta-feira (24).

No depoimento, na tarde de domingo (28), ele disse que teve essa atitude porque encontrou a menina enforcada no quarto dela. O homem está preso. O G1 tenta localizar a defesa dele.

“Ele confessou a ocultação do crime. Disse que no dia dos fatos encontrou a menina enforcada com uma corda. Ao ver a filha morta, se desesperou, amarrou o corpo, colocou dentro de um veículo preto e levou até essa casa que estava abandonada. No local, já existia um buraco por causa de uma fossa, então ele colocou o corpo nesse local, fechou com cimento e foi embora. Ele ficou aproximadamente 20 minutos na casa”, detalhou o delegado Ricardo Jorge.

O corpo Eduarda Shigematsu, que tinha 11 anos, foi encontrado por volta das 14h30 de domingo (28). De acordo com o Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride), no dia do desaparecimento, a criança foi para a escola de manhã, voltou para casa, deixou a mochila no sofá e não foi mais vista.

Conforme a Polícia Civil, câmeras de segurança registraram a menina chegando em casa por volta das 12h de quarta-feira (24), mas não mostraram ela saindo. Por volta das 13h30, o pai saiu de casa em um carro preto e, às 13h37, ele chegou ao imóvel onde o corpo foi encontrado. Esse carro não foi localizado pela polícia.

Contradições

No dia seguinte, a avó de Eduarda, que tinha a guarda da menina, registrou um Boletim de Ocorrência sobre o desaparecimento. Ricardo ainda postou uma mensagem em uma rede social pedindo informações da filha. A mãe de Eduarda mora em São Paulo.

“O boletim foi feito de forma falsa, eles [avó e pai] já sabiam que a menina estava morta. A avó se contradisse em vários momentos durante o depoimento”, pontuou o delegado.

O corpo da menina foi encontrado com os pés e mãos amarrados, tinha uma corda no pescoço e a cabeça estava envolvida com um saco preto e uma toalha. A Polícia Civil espera o resultado de exames do Instituto Médico-Legal (IML) para saber a causa da morte.

 

Leia Também

Pai que roubou doações para filho com doença rara ganha prisão domiciliar
Geral
Pai que roubou doações para filho com doença rara ganha prisão domiciliar
Pilantra: mulher finge estupro para ganhar seguidores em redes sociais
Geral
Pilantra: mulher finge estupro para ganhar seguidores em redes sociais
Covid-19 mata mais 869 brasileiros em 24 horas, lamenta Ministério da Saúde
Geral
Covid-19 mata mais 869 brasileiros em 24 horas, lamenta Ministério da Saúde
Ladrão com faca invade casa de madrugada e morador 'mete bala' no Tijuca
Polícia
Ladrão com faca invade casa de madrugada e morador 'mete bala' no Tijuca