TCE JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
terça, 28 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Polícia

Pedófilos presos eram casados e esposas nem sonhavam com os crimes em Campo Grande

Companheiras não tinham conhecimento e tampouco suspeitavam que seus maridos usavam os computadores de casa para a prática criminosa

19 maio 2022 - 07h00Por Vinicius Costa

Um dia você está dormindo tranquilamente com seu marido, no outro você acorda sabendo que ele é um pedófilo. Duas mulheres viveram essa situação, nos bairros Noroeste e Coophavila, em Campo Grande, quando seus respectivos companheiros foram presos em flagrante por armazenar imagens de abuso e exploração sexual de crianças.

Um professor de educação física, de 37 anos, e um designer gráfico, de 41 anos, foram detidos e encaminhados para a Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), nesta quarta-feira (18), através da 'Operação Predador', em combate ao abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes.

Mas a grande semelhança desse caso é, que, nenhuma das esposas tinha conhecimento ou tampouco suspeitava que seus maridos usavam os computadores para baixar vídeos, armazenar e compartilhar conteúdo pornográfico de crianças para a internet.

A delegada titular da Depca, Fernanda Mendes, destacou que seu alvo era o professor de educação física, mas que atuava como motorista de aplicativo. Pela manhã, ele ficava em casa e, à noite, saía para trabalhar, enquanto sua esposa, de um relacionamento de 15 anos, fazia o caminho inverso.

A polícia suspeita que o autor, enquanto ficava sozinho em casa, usava o tempo livre para armazenar todo e qualquer tipo de conteúdo de abuso infantil. Mas, como dito anteriormente, a mulher nunca desconfiou da prática. Ela teve os equipamentos eletrônicos e celular checados, mas nada de errado foi encontrado.

Mesmo usando o mesmo computador que o marido, a mulher tinha outro usuário e senha para acessar a área de trabalho, o que dificultava saber o que o esposo 'aprontava' em seu login. Na delegacia, a mulher do professor reafirmou que não sabia de nada.

Neste mesmo computador, a polícia encontrou 17,6 gigabytes de conteúdos pornográficos de crianças e adolescentes. Porém, o equipamento eletrônico ainda deve ser periciado para saber se há ou não a existência de mais vídeos e fotos que estavam guardadas.

Além disso, dois celulares contendo pornografia e sexo explícito envolvendo crianças e adolescentes também foram apreendidos e passarão por perícia, como confirmou a delegada Fernanda Mendes.

Numa outra região da cidade, no Coophavila, a esposa do designer gráfico prestou depoimento como testemunha do caso e afirmou para o delegado-adjunto, Marcelo Damasceno, que não tinha conhecimento que seu companheiro escondia esses arquivos. O casal tem dois filhos, de 7 e 9 anos, que também foram ouvidos por equipe especializada. Até o momento, a conclusão é que as crianças da família nunca foram tocadas, apesar do histórico de busca do pai.

Os presos vão responder por adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente, referente ao art. 241-B do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).