Maracaju III agosto verde 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
quarta, 17 de agosto de 2022 Campo Grande/MS
Lobo Guará
Polícia

Professor de música é preso suspeito de estuprar menina de 9 anos em escola de Água Clara

Exames físicos constataram os abusos contra a criança

27 junho 2022 - 18h32Por Elizeu Ribeiro

Um professor de música foi preso na tarde desta segunda-feira (27), suspeito de estuprar uma menina de 9 anos, em Água Clara, a 189 quilômetros de Campo Grande. A prisão foi feita por uma equipe da Polícia Civil no âmbito da operação "Acalento.

Segundo informações policiais, o Conselho Tutelar levou à Delegacia de Polícia uma mãe que relatou o suposto abuso sofrido pela filha na escola de música. A mulher disse que foi buscar sua filha na escola e a encontrou trancada no banheiro com o professor.

Imediatamente, ela questionou porque ambos estariam no banheiro, e ele disse que estava fazendo a limpeza do local. A genitora questionou sua filha se algo teria ocorrido, contudo, num primeiro momento negou.

Já na data de hoje,  a vítima, de forma espontânea, disse que foi abusada sexualmente pelo professor e narrou os detalhes. Ela foi encaminhada para a realização de exame sexológico, sendo constatada, pelo médico perito, a ruptura do hímen.  

Em razão de tais fatos, a Polícia Civil representou pela prisão preventiva do suspeito, que, após parecer favorável do Ministério Público, foi decretada pelo Poder Judiciário. As investigações seguem com o indiciado preso e o inquérito policial tem o prazo de dez dias para ser concluído.

 Acalento - A operação “Acalento” teve início no dia 13/06 e segue até o dia 13/07/2002.

A ação é coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi), em parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), com o objetivo de combater crimes de violência contra crianças e adolescentes nos 26 estados e no Distrito Federal. 

A primeira etapa da operação aconteceu em julho do ano passado. Na ocasião, 76 pessoas foram presas em flagrante no Mato Grosso do Sul. Houve também o cumprimento de 60 mandados de prisão e a solicitação de 31 medidas protetivas.