ALMS CONTAR 25/06 A 27/06
(67) 99826-0686

Acrissul vai ao Senado e critica atuação do governo sobre conflitos indígenas

Conflitos indígenas

1 NOV 2013
Aline Oliveira
16h00min
Divulgação

Na manhã desta sexta-feira (1º), o vice-presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Jonatan Pereira Barbosa, esteve no senado federal, em Brasília e criticou a falta de comprometimento do governo federal e o descaso da Funai (Fundação Nacional do Índio) na administração do problema envolvendo invasões de terras por indígenas em todo país.

 

O Estado computa 75 invasões registradas e segundo o representante da associação, mesmo após vários encontros com membros do governo federal, Funai e de diversos ministérios, a postura do Poder Público tem sido a de protelar a situação cada vez mais. Para o ruralista, a preocupação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo se restringe tão somente às eleições para o governo de São Paulo no ano que vem.

 

"O prazo para uma solução final é 30 de novembro. Depois disso, como já é tragédia anunciada, os fazendeiros irão partir para o confronto legítimo para defender seu direito de propriedade. E vai haver derramamento de sangue, infelizmente", alertou o ruralista no Senado Federal.

 

O representante jurídico da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul ) alertou ainda que as invasões constantes e reincidentes, além da desobediência às ordens judiciais têm tomado proporções de conflito iminente.

 

Outro ponto bastante criticado pelos parlamentares da Comissão de Agricultura, organizadora da reunião foi a falta de compromisso da presidente da Funai, Maria Augusta Acerte que não compareceu. Os organizadores falaram inclusive de convocar a representante, como foi feito com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, após ter recusado três convites. Logo após, foi convocado a prestar esclarecimentos no senado sobre a situação de conflito entre proprietários e indígenas em várias regiões brasileiras.

 

Veja também