(67) 99826-0686
REFIS FEV.

Alex do PT diz que sai de cabeça erguida e vai continuar na luta pelos trabalhadores

Segundo ele, o partido conseguiu discutir o transporte coletivo, desenvolvimento local, inclusão, transparência e a participação popular

2 OUT 2016
Diana Christie
16h28min
Foto: Assessoria

O candidato à prefeitura de Campo Grande, vereador Alex do PT afirmou que terminou a campanha de ‘cabeça erguida’ por ter trabalhado de forma propositiva, com propostas concretas para Campo Grande. “Propomos a fim da tarifa mínima da água, a redução da taxa de esgoto, a usina municipal de asfalto. Se estamos passando uma crise, a prefeitura tem que auxiliar o comércio local”, disparou.

Segundo ele, o PT conseguiu discutir o transporte coletivo, desenvolvimento local, a inclusão, a transparência e a participação popular, mesmo com os constantes desgastes à sigla, como as prisões na Operação Lava Jato. “Tenho certeza que o resultado vai ser confirmado nas urnas, independentemente dos ataques que nós, do PT, sofremos nas duas últimas semanas, que foram acirrados”, declarou.

Para Alex, tudo não passa de uma tentativa de criminalizar e enfraquecer o partido. “Nós sabemos que um PT enfraquecido só interessa aos poderosos para fazer a reforma da previdência que eles estão propondo e fazer com que o trabalhador pague a conta. Por isso, tivemos os episódios coincidindo com a chegada do fim das eleições. Não tenho a menor dúvida”.

Foto: Assessoria

 “O eleitor sabe que um PT fortalecido, que vai enfrentar essas propostas, como a retirada do auxílio-doença, o aumento da idade para a aposentadoria, que deve aumentar para 70 anos para homens e 65 para mulheres, além do congelamento dos salários dos servidores por 20 anos, mas o sucateamento da saúde e educação, também vai ter os recursos reduzidos nos próximos anos. Isso interessa a quem?”, continuou.

Por fim, agradeceu a participação do candidato à vice, Mario Fonseca, e destacou a ‘agenda de resistência’. “Não iremos permitir que os poderosos promovam essa agenda contra os trabalhadores. Além de lutar pela democracia, vamos lutar até o final contra esse outro golpe está vindo por aí”, declarou antes de votar na Escola Estadual Joaquim Murtinho, acompanhado da esposa Fanny Assad Melo.

Veja também