(67) 99826-0686
Reviva centro

Primeira sessão após as eleições é marcada por lamentos e comemorações na Capital

Dos 29 vereadores, 11 devem retornar na próxima legislação

4 OUT 2016
Rodson Willyams
13h02min
Foto: Geovanni Gomes

A sessão ordinária desta terça-feira (4) marcou o retorno dos vereadores às atividades parlamentares após o intenso trabalho de campanha durante às eleições. Porém, o clima pelos bastidores se tornou um misto entre abraços aos vitoriosos e lamentos aos que não conseguiram se reeleger para o próximo mandato. A sessão teve duração de aproximadamente uma hora iniciada por volta das 9h45 da manhã.

Na lista entre os vereadores que não conseguiram se reeleger, Edson Shimabukuro, do PTB, destacou que o insucesso nas urnas foi reflexo dos escândalos que marcaram a atual legislatura. "O Gaeco não nos deu chance de defesa e fomos acusados por coisas que não condizem com a realidade. Acredito que tudo isso afetou a minha campanha. A minha participação nesta eleição foi pífia, uma vez que não conseguimos votos nem para suplência. Agora vou levar a minha vida, sou engenheiro e vou cuidar das minhas coisas", lamentou.

Outro a comentar a derrota nas urnas foi o vereador Jamal Salem, do PR, que afirmou ter ficado surpreso com o resultado nas eleições. "Esperava ter cinco mil votos e tive menos, porém, o resultado não foi suficiente para voltar. Fico apenas na suplência na chapa entre PSDB-PR. Fiz a minha parte, tanto no Executivo quanto quando estive como secretário de Saúde. Mas, infelizmente, não consegui o coeficiente eleitoral e não entrei. Tenho trabalho realizado há mais de 30 anos, mas sabia que essa eleição seria diferente", explicou.

Novato na Câmara, o vereador Roberto Durães, do PSC, também lamentou o resultado nas urnas. "Falaram em mudança, mas acredito que trocaram seis por meia dúzia com esses novos vereadores eleitos. Não comprei voto, gastei nessa eleição o meu próprio dinheiro. Fiz muitos projetos, coisas que vereadores aí milionários não fizeram. Achei que eles queriam um homem íntegro e com caráter. Claro que senti a minha perda, mas pelo menos registrei a minha passagem por aqui. Quem sabe um projeto para 2018?".

Edil Albuquerque, do PTB, também lamentou o resultado. Porém, atribuiu o insucesso as divulgações feitas pela mídia de que a sua candidatura estava impugnada. "Alguns fatos atrapalharam a minha campanha, mas também cometi alguns erros e eleição é isso aí mesmo. Quem decide no final é o povo".

Por fim, o vereador Airton Saraiva, do DEM, que abriu mão da sua candidatura para projeto para 2018, também comentou a sua saída da Casa de Leis. "É muito triste, são 16 anos que estive nessa Casa. Mas saio daqui com a cabeça erguida e vou para um projeto maior. E na eleição você acaba tendo dois caminhos, ou você ganha ou você perde. Temos que respeitar a vontade das urnas".

Eleitos

Por outro lado, outros comemoraram a vitória nas eleições municipais. Paulo Siufi, do PMDB, destacou que esta eleição não foi fácil. "Me considero um guerreiro. Não foi fácil, principalmente, quando ouvi que vereadores falavam de mim, principalmente, quando falaram da possibilidade de migrar para a Assembleia. Daí alguns falavam que, como poderia ir para lá, votavam em outros. Mas o bom resultado demonstrou que, mesmo assim, fui guerreiro em continuar na minha campanha".

O presidente da Câmara Municipal, vereador João Rocha, do PSDB, também agradeceu o apoio que teve nas eleições. "Quero agradecer a todos que me ajudaram e que me deu a oportunidade de continuar o meu trabalho a partir do dia 1º de janeiro por mais quatro anos".

Ainda falou sobre as eleições. "Também quero parabenizar a forma tranquila em que transcorreu a campanha, de forma tranquila e harmônica, principalmente no dia da campanha".  

Veja também