TCE Novembro
Menu
terça, 30 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
CAMARA - vacinaçao
Política

Denúncia cai em descrédito e deputados saem em apoio a Azambuja

Parlamentares referendaram apoio ao governador e dizem que denúncia não tinha fundamento

01 outubro 2018 - 15h00Por Rodson Willyams

A bancada tucana saiu em defesa do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) após o Ministério Público Federal pedir arquivamento do inquérito 1198/DF ao Superior Tribunal de Justiça. É a chamada ‘propina do Fantástico’, como ficou conhecida denúncia por envolvimento de pagamento de propina. Para os parlamentares, a solicitação de arquivamento só demonstra a inocência de Reinaldo.

Para o deputado estadual Rinaldo Modesto, o pedido é importante em tempos de criminalização da política. "As pessoas, às vezes, não têm o compromisso com a verdade", dispara o parlamentar. "Não podem sair maculando a reputação das pessoas com denúncias sem fundamentos. O pedido de arquivamento só serviu para consolidar um projeto. Quem tinha dúvidas agora não tem mais. Mas isso também não impede de continuarmos trabalhando e mostrarmos as ações políticas nesta reta final de campanha".

Outro a comentar foi o deputado estadual Felipe Orro. "Isto é um caso comprovado de inocência. Esta decisão acaba contribuindo com o discurso que o Reinaldo tem feito, que é um governador que trabalha e que não tem envolvimento com nada errado".

Onevan de Matos também saiu em defesa do governador e informou que esse pedido de arquivamento ajuda Reinaldo nesta reta final de campanha. "O Reinaldo é um homem sério e honesto. É uma pessoa transparente e que vai vencer essas eleições para ter mais um mandato para levar o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul. Eu acredito no Reinaldo".

A assessoria de imprensa do governador Reinaldo Azambuja foi procurada, mas até o momento não se manifestou.

Entenda o caso

O Ministério Público Federal pediu o arquivamento da chamada ‘propina do Fantástico’, como ficou conhecida a denúncia. O empresário responsável pela denúncia reconheceu que foi enganado por um suposto estelionatário e acusou integrantes do Governo do Estado sem ter nenhuma prova.

Conforme documento assinado pelo vice-procurador-geral da República Luciano Mariz Maia, e datado do dia 4 de setembro deste ano, Berger prestou depoimento na Polícia Federal em julho deste ano, junto com a esposa Mirela Berger e Paula Thais Coutinho de Souza. Eles reconheceram a falsidade das denúncias.

No ano passado, Berger ficou conhecido por denunciar, com direito a matéria no Fantástico, o pagamento de propina ao alto comando do Governo de MS, até ao governador Reinaldo Azambuja. Gravou até um vídeo entregando 30 mil reais a José Ricardo Gutti, o Polaco.

Depois de não apresentar provas contra o Governo, Berger foi à PF de Campo Grande, onde reconheceu não ter nada de concreto. E ainda se disse enganado por Polaco, a quem chama de estelionatário.

Assim, o Ministério Público Federal pediu ao Superior Tribunal de Justiça o arquivamento do inquérito 1198/DF, que trata da denúncia. O pedido aguarda avaliação da ministra Maria Thereza de Assis Moura, relatora do caso.