Menu
segunda, 06 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Política

Fora do jogo, Bernal vai recorrer de decisão do TSE: 'minha candidatura incomoda'

Ex-prefeito teve candidatura reprovada por ter mandato cassado em 2014

04 outubro 2018 - 11h20Por Celso Bejarano

O ex-prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal, do PP, que teve a candidatura a deputado federal reprovada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ontem, quarta-feira (3), disse que a medida o pegou de “surpresa”, mas que “confia na Justiça” e vai “recorrer da decisão”.

O TSE, instância máxima eleitoral, impediu a candidatura de Bernal por cinco votos a dois. A corte sustentou a decisão em episódio ocorrido no dia 12 de março de 2014, data que a Câmara dos Vereadores da cidade cassou o mandado do então prefeito por suspeitas de irregularidades em contratos firmados com três empresas fornecedoras da prefeitura.

Em agosto de 2015, contudo, o judiciário sul-mato-grossense enxergou irregularidade na deliberação da Câmara e devolveu o mandato a Bernal. De lá para cá, ele já disputou duas eleições sem ser incomodado pela corte eleitoral: uma para o Senado, outra por sua reeleição, em 2016.

O ex-prefeito, que teve a candidatura a deputado federal impugnada, assim se expressou na nota divulgada nesta manhã:

“Confio na justiça. Fui surpreendido com a decisão do TSE, que confronta com decisão anterior da própria corte, em 2014, que deferiu minha candidatura ao Senado, reconhecendo que meus direitos políticos não haviam sido cassados. Também, em 2016, tive minha candidatura à reeleição confirmada, o mesmo ocorrendo neste ano, pelo TER-MS, na candidatura a Deputado Federal”.

Ainda segundo Bernal, “sei que minha candidatura incomoda grupos políticos e econômicos, que nunca se conformaram com a escolha do povo e fizeram de tudo para me tirar da vida pública, não medindo esforços e sendo capazes de tudo, até mesmo quase destruir Campo Grande, para conseguirem seu intento. Continuo reafirmando minha confiança no Judiciário irei recorrer e tenho fé que a Justiça será feita”.