Menu
domingo, 16 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Bernal não deve se reeleger, afirmam vereadores

29 outubro 2015 - 12h20Por Izabela Sanchez e Dany Nascimento

O vereador Jamal Salem (PR) não acredita que o prefeito Alcides Bernal (PP) possa ser reeleito nas eleições municipais de 2016. De acordo com ele, a população está ciente da que Bernal não tem realizado uma boa política.

“Não acredito, mesmo que o Bernal utilize a fala ‘que não conseguiu fazer um trabalho político porque os vereadores não deixaram’, acredito que o Bernal não vence as eleições porque a população está ciente”, afirmou.

É a mesma opinião do vereador Otávio Trad (PTdoB). “Acredito que, diante dessa situação, a população vai pensar melhor, e pelas pesquisas percebo que o povo vai buscar alguém experiente, não um aventureiro político”, declarou, fazendo apologia indireta à própria família.


Possível Cassação de Bernal

Diante das afirmações do prefeito, de que “se os vereadores quiserem podem me cassar”, Jamal explicou a Câmara não é inimiga do executivo. “Na última reunião em que o Bernal esteve aqui, fiz questão de falar na frente de todos os vereadores - sejam da base, da oposição e independentes -, que a Casa não é inimiga do prefeito, ele tem que retomar o diálogo com os vereadores”.

Jamal também afirmou que “brigar com os parlamentares é uma coisa natural do próprio Bernal”. “Essa questão de guerra, viver brigando com os parlamentares já vem do próprio Bernal, pedi ao prefeito que mudasse suas atitudes e esquecesse o que aconteceu, o que vale é daqui pra frente já que a população vem sofrendo”.

Na opinião do ex-secretário de saúde de Olarte, é Bernal quem deve trabalhar com a Câmara e não o secretário de governo, Paulo Pedra (PDT). “O Bernal afirmou que o Pedra ia ficar a frente, mas falei pro prefeito que tem ser feito por ele como sempre foi feito por outros prefeitos”.

Trad defendeu que o prefeito seja afastado novamente. “Tivemos um início de mandato conturbado e repito que Alcides vem cometendo os mesmos erros agora que voltou à prefeitura. Acredito que deveria acontecer um novo afastamento porque os crimes estão sendo ratificados”, declarou.