(67) 99826-0686
Camara - marco

Bernal retalha tucanos e partido julga acusados de traição

Aliança rompida

23 OUT 2013
Redação
07h00min
Foto: Divulgação

O convite do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), a José Chadid, secretário de Educação, e Leila Machado, diretora-presidente da Fundação de Esporte, ambos do PSDB, abriu uma crise no partido. Agora os tucanos expulsam os dois considerados traíras.

O PSDB ajudou Bernal no segundo turno da eleição municipal do ano passado. Mas por não cumprir com o prometido, o partido decidiu deixar a aliança do prefeito da Capital. 

O diretório municipal expulsou Chadid na semana passada. Ele poderá recorrer ao diretório estadual nesta semana. Ontem, foi a vez de Leila ser julgada. Para evitar a expulsão, a diretora-presidente da Funesp pediu afastamento por 120 dias. 

Segundo o presidente regional do partido, deputado estadual Márcio Monteiro (PSDB), o julgamento só poderá ser retomado quando o prazo da licença se encerrar. "Quando acabar a licença, julgaremos a expulsão dela", explicou o dirigente.

Segundo informações, o pedido de licença foi uma saída encontrada pelo partido depois da visita do vereador João Rocha à sede. Leila trabalhou no gabinete de João Rocha.

Fora da pauta - Apesar da decisão do PSDB em deixar a administração, o partido não vai discutir sobre o comportamento de João Rocha que votou a favor de Bernal para enterrar a criação da Comissão Processante que poderá cassar o mandato do prefeito.

Márcio Monteiro alegou que não houve uma discussão dentro do partido sobre a linha de atuação dos vereadores tucanos para a votação. "Os vereadores quando votam, votam também pelos fatos. Não houve fechamento partidário. Se tivesse sido orientado seria diferente", afirmou o presidente. 

Veja também