TCE MAIO
ASSEMBLEIA MAIO DE 2022 2
Menu
sexta, 20 de maio de 2022 Campo Grande/MS
GOV EMPREGO MAIO
Política

TRF-3 nega pedido de liberdade de Puccinelli, filho e advogado presos há 45 dias

A informação é da assessoria de imprensa do TRF-3

03 setembro 2018 - 15h32Por Celso Bejarano

A 5ª Turma do TRF-3 (Tribunal Regional Federal) da Terceira Região, decidiu por dois votos a um impugnar a liberdade do o ex-governador de Mato Grosso do Sul André Puccinelli (MDB), o filho André Júnior e o advogado João Paulo Calves, presos há exatos 45 dias, por lavagem de dinheiro oriundo de corrupção.

A informação é da assessoria de imprensa do TRF-3. “O julgamento se encerrou há poucos minutos. Foi negado o habeas corpus e mantida a prisão".

O dcsembargador Paulo Fontes, relator do caso, votou pela soltura do trio, no entanto, seus dois colegas, os desembargadores André Nekatschalow e Maurício Kato, interpretaram o contrário, isto é, mantiveram os três encarcerados. 

Fontes, por duas ocasiões, no ano passado, livrou Puccinelli pai. Na primeira, em março, mandou tirar a tornozeleira determinada pela 3ª Vara Federal, em Campo Grande; na segunda, em dezembro de 2017, tirou o ex-governador da cadeia.

Desta vez, Puccinelli e o filho foram detidos no dia 20 de julho passado. Depois disso, o trio tentou a liberdade no TRF-3, STJ (Superior Tribunal de Justiça) e desistiu de um recurso ingressado no STF (Superior Tribunal Federal).

Prisão

André Puccinelli, o filho e o advogado foram presos pela criação do Instituto Ícone de Estudos Jurídicos que, para o MPF (Ministério Público Federal), funcionaria para gerenciar dinheiro de propina.

JBS, a principal empresa investigada na Lava Jato, é suspeita de pagar a Puccinelli altas somas em dinheiro. O valor, segundo o MPF, ia para a conta da Ícone, depois era repassado a integrantes do esquema do ex-governador.

Em troca, a JBS era beneficiada com incentivos fiscais. A empresa seria de André Júnior, mas, no papel, quem seria o dono é o advogado João Paulo Calves, o “testa de ferro” da trama, conforme o MPF.

Matéria alterada com novas informações