Menu
sábado, 18 de setembro de 2021 Campo Grande/MS
Política

Deputado de MS cita 'ilusionismo político' após Bolsonaro voltar a defender voto impresso

Segundo Bolsonaro, Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), faz "ativismo eleitoral" contra o voto impresso

18 julho 2021 - 13h18Por Nathalia Pelzl

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender o voto impresso nas eleições de 2022 e disse que "só Deus" tira ele da chefia do Executivo.

A declaração foi dada à imprensa neste domingo (18) após ele ter alta e deixar o hospital onde estava internado há quatro dias depois de ser diagnosticado com obstrução intestinal. 

"Querem derrubar o governo? Já disse: só Deus me tira daquela cadeira. Será que não entenderam que só Deus me tira daquela cadeira? Se aparecer corrupção em meu governo, serei o primeiro a buscar maneiras de apurar e deixar na mão da Justiça para que esse possível responsável seja punido. Estamos há dois ano e meio sem corrupção", afirmou.

Segundo Bolsonaro, Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), faz "ativismo eleitoral" contra o voto impresso. 

"Queremos transparência nas eleições. Não existem eleições sem transparência. Isso é fraude. Não queremos isso", disse ele, sem citar provas de fraudes nas urnas eletrônicas.

Opositor do presidente, o deputado federal por Mato Grosso do Sul, Fábio Trad (PSD) se manifestou no Twitter. 

Segundo Trad, Bolsonaro prega ‘ilusionismo político’. 

“Esta questão sobre voto de papel plantada por Bolsonaro é ilusionismo político. Enquanto ocupa o povo a debater essa questão, o governo surfa e não é cobrado pela fome, corrupção na vacina, desemprego, valor absurdo do gás, dos alimentos, dos combustíveis. Não caio nessa”, escreveu.