tjms julho
ALMS - RAMAL
Menu
Busca sexta, 10 de julho de 2020
REFIS SAUDE
Política

Dilma perde salário, mantém 8 servidores e terá de deixar Alvorada em 30 dias

Todas as despesas relacionadas à gestão dos servidores e dos dois veículos serão custeadas pela Casa Civil

31 agosto 2016 - 16h39Por Agência Brasil

Concluído o processo de impeachment pelo Senado Federal e a decretação da perda do mandato, a presidenta cassada Dilma Rousseff terá até 30 dias para deixar o Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República.

Como ex-presidenta, Dilma não receberá salário, mas terá direito a oito servidores, sendo dois assessores, quatro seguranças e dois motoristas além de dois carros.

Todas as despesas relacionadas à gestão dos servidores e dos dois veículos serão custeadas pela Casa Civil, com recursos do Tesourou Nacional.

Atualmente, têm direitos aos mesmos benefícios concedidos à Dilma os ex-presidentes José Sarney, Fernando Collor de Mello, Fernando Henrique Cardozo e Luiz Inácio Lula da Silva.

Até então único presidente cassado depois da redemocratização, Collor não teve direito a assessores, seguranças e veículos porque respondia a processo penal no Supremo Tribunal Federal. Após ser absolvido, no entanto, Collor requereu e passou a ter direito aos benefícios.  

Até a Constituição de 1998, os ex-presidentes tinham direito a aposentadoria vitalícia, conforme lei aprovada durante o regime militar. O benefício foi revogado pela Constituição de 1988.

Leia Também

Avó de esposa de Bolsonaro continua internada com coronavírus
Geral
Avó de esposa de Bolsonaro continua internada com coronavírus
Secretário de Saúde se emociona com despedida de médico em Dourados: ‘luta incessante’
Saúde
Secretário de Saúde se emociona com despedida de médico em Dourados: ‘luta incessante’
ALÍVIO NO BOLSO DO ESTUDANTE: Bolsonaro sanciona lei que suspende pagamento de parcelas do Fies
Cidades
ALÍVIO NO BOLSO DO ESTUDANTE: Bolsonaro sanciona lei que suspende pagamento de parcelas do Fies
OMS manda especialista para investigar origem da Covid-19 na China
Saúde
OMS manda especialista para investigar origem da Covid-19 na China