(67) 99826-0686
ALMS 13/06 a 12/07

Última semana de campanha marcada por alfinetadas entre candidatos

Alcides Bernal seria o pivô dos ataques entre Marquinhos Trad e Rose Modesto

29 OUT 2016
Dany Nascimento
16h00min
Foto: Dany Nascimento/Reprodução

Ao intensificar as caminhadas pelos bairros da Capital na última semana de campanha, os candidatos que disputam segundo turno, Marquinhos Trad (PSD) e Rose Modesto (PSDB), trocaram alfinetadas. O principal tema foram as decisões tomadas para disputar o pleito.

Marquinhos, por exemplo, teve que se defender afirmou que  não fez nenhum tipo de acordo para obter o apoio do prefeito Alcides Bernal (PP), que não conseguiu se reeleger e agora caminha ao lado de Trad.

"Eu vou dizer uma coisa, quem fez propostas nesse tipo para o Bernal foi o governador Reinaldo Azambuja e a Rose, comigo ele não fez aliança, ele fez apoio. Aliás nós assinamos o apoio", diz o candidato.

Questionado sobre ceder as exigências feitas por Bernal, diante dos nomes que estão sendo investigados na operação Coffe Break, Marquinhos diz que foi um pedido feito pelo atual Chefe do Executivo e garante que já não tinha pretensão de nomear nenhum dos vereadores que aparecem na lista para administrar secretarias.

"Não tem exigência, foi um pedido, exigência quem usa é o governador. Eu jamais colocaria pessoas que são denunciadas ou estão em ato de investigação suplementar ou estão na quebra de sigilo bancário como secretário e jamais vou colocar qualquer vereador que vendeu o seu voto a troco de secretaria", diz Marquinhos.

Ao tomar conhecimento das alfinetadas do rival, Rose Modesto (PSDB) destaca que nunca dialogou com Alcides após o resultado das eleições e afirma que se sente atacada por Marquinhos 24 horas por dia.

"Eu nunca nem falei com Bernal, inclusive ele falou que não procurei ele, se eu tivesse encontrado Bernal teria dado conselhos para ele. Ataca 24 horas por dia. Eu acredito que a melhor pesquisa é a urna, o sentimento da rua não expressa o que ele tem divulgado, aliás ele disse que campanha terminou há vinte dias, nem sei porque ele ainda está fazendo campanha", afirma a tucana.

Modesto visitou as famílias da comunidade Bom Retiro e destacou que caso seja eleita, montará uma comissão que terá um praazo de 60 dias para entregar as casas para as famílias da Cidade de Deus. " A saída aqui é retomar, a Ong Mhorar abandonou a obra  porque não recebeu do Bernal, a primeira coisa que quero fazer é montar uma comissão, representando as quatro comunidades divididas e repactuar, a prefeitura tem que dar resposta rápida, esse tipo de casa em 60 dias você termina e entrega, mas agora tem que querer e ter responsabilidade para isso e nós vamos fazer".  

Veja também