(67) 99826-0686
Reviva centro

Em campanha, Athayde promete levar prefeitura aos bairros da Capital

Candidato quer criar 'prefeituras regionais' e disponibilizar serviços essenciais na periferia

5 SET 2016
Diana Christie
12h50min
Foto: Álvaro Herculano

Candidato à prefeitura de Campo Grande, o ex-secretário Athayde Nery (PPS) promete criar ‘Prefeituras Regionais’, locais para atendimento à população e espaço de debates sobre a administração pública. O objetivo é instalar o modelo de gestão nas sete regiões do município para amenizar a falta de infraestrutura e atendimento nos bairros da periferia.

“A prefeitura é centralizadora e burocrática, assim atende de forma genérica o campo-grandense. É preciso ter um olhar mais detalhado para cada bairro, pois no centro, o principal problema pode ser a segurança, mas no bairro pode ser a falta de remédio no posto de saúde, por exemplo,” explica Athayde.

Campo Grande é dividida em sete regiões que, de acordo com a proposta de Athayde, se tornariam Prefeituras Regionais: Anhanduizinho, Bandeira, Centro, Imbirussu, Lagoa, Prosa e Segredo. Com o projeto do candidato, cada local teria autonomia para discutir o orçamento de sua região, além de contar com atendimentos de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), documentos, entre outros.

“Com isso vamos fomentar a economia, geração de emprego e desenvolvimento dos bairros. Hoje tem moradores que perdem um dia inteiro para resolver algo simples como uma cobrança de IPTU. Eles têm que sair de casa muito cedo, enfrentar ônibus lotado, fila. Não podemos aceitar isso”, comenta Athayde.

Esta é a realidade de Evelin Molina. A moradora do Jardim Noroeste conta que seu marido teve os documentos furtados e que não tem informação no bairro e, por isso, precisa ir ao Centro. “Precisamos pegar quatro ônibus para ir ao Centro e ter informação de como fazer para tirar a segunda via, porque não tem nada da Prefeitura aqui perto para informar. Toda vez que precisamos ir é um dia a menos de trabalho”, disse.

“Com as Prefeituras Regionais vamos atender casos como o da Evelin e muitos outros. Esse é o modelo de gestão que vamos implantar com a participação da sociedade para termos transparência, eficiência e rapidez”, finaliza Athayde. (Com Assessoria)

Veja também