tce janeiro
CNH - MOTO
Menu
sexta, 28 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Em nota, Romero rebate acusações e nega indiciamento do Gaeco

10 dezembro 2015 - 15h21Por Diana Christie

Investigado pela Operação Coffee Break, o vereador Eduardo Romero (PT do B) emitiu uma nota de esclarecimentos rebatendo as acusações de que teria participado de esquema para cassar o prefeito Alcides Bernal (PP) e negando as informações de que foi indiciado pelo Gaeco (Grupo Especial de Repressão ao Crime Organizado).

No texto, ele destaca que não teve acesso ao relatório enviado ao Ministério Público Estadual, mas independente disto prestou depoimento para a investigação na condição de testemunha, ao invés de acusado. Também declara que votou pela cassação do então prefeito baseado na certeza de que a administração cometeu crimes de improbidade administrativa. Leia na íntegra:

 

Sobre matérias veiculadas na imprensa, inclusive boatos e especulações quanto ao teor do relatório final do Gaeco em relação à Operação Coffee Break, que está em sigilo e que ainda passa por análise pela procuradoria- Geral do MPE para verificar o documento, confronto de informações e da apuração de modo geral, esclareço que:

 

1-    NUNCA fui intimado para depor no Gaeco na condição de acusado por favorecimento com cargos ou dinheiro no que diz respeito à cassação do prefeito Alcides Bernal;

 

2-    Não tenho conhecimento deste relatório mencionado em alguns meios de comunicação;

 

3-    Oficialmente NÃO fui notificado em meu gabinete ou na Procuradoria da Câmara Municipal pelo Gaeco ou pela Justiça sobre acusação de corrupção ativa ou passiva ou sobre qualquer pedido de afastamento das atividades parlamentares.

 

4-    Reforço que o que motivou meu voto foi os relatórios do TCE, pedidos do MPE e TCE, bem como relatório da CPI e não tenho dúvidas de que agi dentro da lei e da responsabilidade legislativa (será que a Justiça errou ao produzir relatórios pedindo providências e fazendo denúncias de desvio financeiro e criação de contratos forçados, bem como superfaturamento?). Tenho minha consciência tranquila, me guio pela transparência e sou comprometido com minha Cidade.

 

5-    TENHO toda tranquilidade e certeza dos meus atos, não me guio por favores pessoais, e sim pela função pública. Não me interessa se o prefeito (a) é um ou outro, estarei sempre atento e fazendo o meu papel de fiscalizador.

 

6-    Destaco que tanto na gestão Alcides Bernal quanto na gestão Gilmar Olarte fui convidado para ser o titular da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano), mas preferi continuar com mandato que fui escolhido pelos meus eleitores.

 

7-    Defendo uma investigação séria e comprometida com a verdade, que a PF e MPE apurem, concluam e a Justiça puna quem tiver que ser punido;

 

8-    Continuo com meu trabalho e meu esforço em fazer o melhor por nossa Cidade.

 

Vereador Eduardo Romero (Rede Sustentabilidade)