tce janeiro
SENAR 26/01
Menu
quarta, 26 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Governador de Goiás é eleito presidente do Consórcio Brasil Central

12 novembro 2015 - 10h33Por O Progresso

Durante a abertura do Fórum Movimento Brasil Central (FMBC), que está sendo realizado desde a manhã de terça-feira (10) em Brasília, o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, e os governadores dos demais Estados que compõem o Fórum (Goiás, Mato Grosso, Distrito Federal, Tocantins, Rondônia) realizaram uma reunião onde foi definido o nome do presidente do consórcio.

Ficou definido por aclamação que a presidência será do governador de Goiás, Marconi Perillo, que destacou entusiasmo para consolidar o movimento. “Vamos trabalhar para fazer com que esse movimento se consolide, e dê uma grande contribuição de desenvolvimento para o país”, disse o primeiro presidente do consórcio Brasil Central, Marconi Perillo.

O governador Reinaldo Azambuja destacou os avanços do Consórcio e afirmou que com boa vontade e persistência as coisas podem acontecer com uma velocidade ainda maior. “Nós podemos avançar num ritmo ainda muito maior, essa é uma cobrança da sociedade em cima de nós, governadores”, afirmou.

Reinaldo destacou ainda que a intenção do consórcio é criar uma lógica regional de desenvolvimento, avançando em pautas importantes em conjunto. “É preciso repensar o Estado brasileiro, e principalmente, discutir as pautas difíceis que vão contribuir para tirar o Brasil da crise”, disse o governador do Estado. O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, destacou a formalização do consórcio e a busca do desenvolvimento da região. “Além de formalizar o consórcio, nosso objetivo é trabalhar em várias áreas e promover o desenvolvimento em conjunto da região”, garantiu.

A reunião dos governadores do FMBC teve também a criação de um conselho consultivo, onde cada governador vai indicar um secretário para participar, e que será presidido pelo ex-ministro Mangabeira Unger. A próxima reunião do Fórum deve acontecer no mês de dezembro, em Porto Velho, e a ideia é de que haja uma carteira de projetos consolidados em infraestrutura e logística, que é considerado pelos governadores, um gargalo da região Centro-Oeste e de todo o País.

No segundo dia do encontro, nesta quarta-feira, os governadores terão encontros com ministérios considerados importantes no desenrolar das ações do Consórcio, e também apresentarão a ideia em uma audiência pública no Senado Federal.


Consórcio

A intenção do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil é ampliar o desenvolvimento e competitividade dos Estados membros em setores chaves e importantes da economia brasileira.

Além de fomento à ações em áreas como agricultura, industrialização e empreendedorismo, o Consórcio, uma autarquia de natureza jurídica de direito público, também servirá como um espaço de compartilhamento de experiências de qualificação, por exemplo, na educação pública.

Nos seis Estados que integram o bloco do Brasil Central estão concentrados pouco menos de 10% (9,16%) da população do país, cerca de 20 milhões de pessoas, que serão beneficiadas com as ações em conjunto dos governadores.