TJ BANNER JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
sábado, 25 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Política

Governador de Goiás enfrenta manifestantes no peito e chama tudo de irresponsável

Caiado afirmou que a saúde pública, em risco sob o Coronavírus, é extremamenet mais importante

15 março 2020 - 20h24Por Vinícius Squinelo, com GGN

Ronaldo Caiado (DEM-GO), governador de Goiás, foi à manifestação na capital e fez discurso forte, encarando os manifestantes no peito. Disse que, dentre todos os governadores, ele é um dos poucos que não se pode duvidar de sua lealdade e apoio a Jair Bolsonaro. Foi ovacionado.

E teve o ‘mas’. E aí a coisa muda de figura. Ou, no popular, o bicho pegou!

Caiado disse que é médico, antes de ser político, e não podia aguentar aquela irresponsabilidade das pessoas ali reunidas, que em um momento tão grave do país e do mundo, com o coronavírus, não poderia permitir que se aglomerassem.

Pediu que fossem mais responsáveis e, se quisessem protestar, que pegassem seus carros e fizessem carreata pela cidade, mas que ali estava proibido, já que o estado já contabiliza quatro casos de coronavírus.

Chamou de novo à responsabilidade, dizendo que pensassem em suas famílias, que amanhã poderiam estar chorando com o risco que corriam ali. E os manifestantes o vaiavam exaustivamente.

Caiado foi duro. Disse que, no estado, e como resultado de sua responsabilidade, as aglomerações estavam proibidas, inclusive aquela ali. Nada de jogos em estádios, e nada que pudesse colocar em risco a população. Disse que carro de som estava proibido nas ruas.

Foi muito vaiado. Vaiado demais. Mas, pela primeira vez, rendemos homenagens à iniciativa do governador.