Menu
quarta, 30 de setembro de 2020
Política

Grupo terrorista pode cometer atentado contra Bolsonaro durante posse; PF vai investigar

A Polícia Militar do Distrito Federal desativou um artefato explosivo próximo a uma igreja durante o Natal; em nota o grupo reivindicou a autoria

28 dezembro 2018 - 10h16Por Da redação / Jovem Pan

Um grupo autodeclarado terrorista e antipolítico, o “Sociedade Secreta Silvestre”, será investigado por possível ameaça de atentado contra o presidente eleito Jair Bolsonaro, do PSL, no dia 1 de janeiro, durante a posse.

A Polícia Federal já havia impedido um atentado orquestrado pelo grupo durante o natal. Na ocasião, um artefato explosivo foi deixado em uma igreja de Brazlândia. Ninguém ficou ferido. A autoria foi reivindicada pelo grupo.

Em um site atribuído ao grupo, uma mensagem publicada contra o presidente eleito reiterou a preocupação da Polícia Civil com a segurança do evento e do militar reformado.

“Se a facada não foi suficiente para matar Bolsonaro, talvez ele venha a ter mais surpresas em algum outro momento, já que não somos os únicos a querer a sua cabeça. Dia 01 de Janeiro de 2019 haverá aqui em Brasília a posse presidencial, e estamos em Brasília e temos armas e mais explosivos estocados”, diz a publicação.

O esquema de segurança planejado para a posse não deve ser alterado. A informação é da Polícia Federal. Além do órgão, o GSI, Gabinete de Segurança Institucional, o Exército, a Força Nacional e a Secretaria de Segurança Pública do DF também trabalharão durante o evento para mitigar ameaças.

Atentado interceptado no natal

No último dia 25, durante o feriado de natal, a Polícia Militar do Distrito Federal desativou um artefato explosivo próximo a uma igreja em uma região administrativa do DF durante a madrugada.

“Nós da Sociedade Secreta Silvestre reivindicamos o abandono de um explosivo de 5 quilos recheado de pregos e pólvora negra no Santuário Menino Jesus, desta vez, em Brazlândia, por volta das 21:20”, diz a nota do grupo.

O grupo, que se auto intitula Sociedade Secreta Silvestre, um grupo ligado a uma suposta facção maior que se chamaria “Maldição Ancestral”, teria divulgado que uma bomba explodiria ao lado da Igreja Santuário do Menino Jesus, em Brazlândia. O artefato foi desarmado pela PM com sucesso, mas a investigação da tentativa de ataque a bomba será investigada pela 18º Delegacia de Polícia Civil.

Leia Também

Ao contrário do esperado, fronteira teve apenas alguns pontos reabertos
Cidades
Ao contrário do esperado, fronteira teve apenas alguns pontos reabertos
Ministério da Agricultura vai investigar 'sementes misteriosas' vindas da China
Geral
Ministério da Agricultura vai investigar 'sementes misteriosas' vindas da China
Corrupção: vice toma posse após prefeito ser cassado pela Câmara de Bandeirantes
Política
Corrupção: vice toma posse após prefeito ser cassado pela Câmara de Bandeirantes
Com cachorro no colo, Bolsonaro sanciona pena maior para maus-tratos a animais
Geral
Com cachorro no colo, Bolsonaro sanciona pena maior para maus-tratos a animais