(67) 99826-0686
PMCG - Prestação de contas

Com discurso de renovação, Vinícius Siqueira recebeu R$ 21,8 mil de investigado pelo Gaeco

Maior doador da campanha do vereador eleito é empresário alvo da Operação Midas

8 DEZ 2016
Thiago de Souza
07h00min
Doador de campanha de vereador é denunciado por corrupção

Maior doador da campanha eleitoral do vereador eleito Vinicíus Siqueira (DEM), o empresário Jean Michel Marsala Junior é um dos investigados e denunciados à Justiça pelo MPE (Ministério Público Estadual), no âmbito da Operação Midas, deflagrada pelo Gaeco. A suspeita é que o grupo criminoso tenha movimentado R$ 10 milhões em propina.

Marsala bancou 44,99% da campanha de Vinícius, depositando R$ 21,8 mil, de um total de R$ 48,45 mil recebidos pelo então candidato a vereador. As maiores despesas do candidato foram com publicidade, com materiais impressos, e serviços prestados por terceiros, que somaram R$ 28.585 mil. 

O empresário também é líder do Grupo Chega de Impostos, famoso na Capital por comandar as manifestações contra o PT e pelo impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT). Além disso, ele foi cotado a ser candidato a prefeito neste ano pelo partido Democratas, o mesmo de Vinícius. O plano não deu certo e a sigla optou por apoiar Marquinhos Trad (PSD). 

Apesar do investimento que recebeu de Marsala, o oficial de Justiça, recém-eleito vereador, considerou sua campanha barata, e atribuiu a isso o fato de não ter amarras políticas e poder fazer um mandato combativo à corrupção. 

Operação Midas

O MPE investiga crimes de corrupção ativa, passiva, lavagem de dinheiro, associação criminosa e falsidade ideológica na Operação Midas, deflagrada em 19 de maio deste ano. Conforme a denúncia, empresários pagavam propina ao procurador-jurídico da Câmara, André Scaff, para comprar vantagens indevidas nos contratos que mantinham com a Casa de Leis, já que Scaff exercia funções de confiança no parlamento. 

André foi secretário de Finanças na gestão Gilmar Olarte, de março de 2014 a agosto de 2015, e, nesse período, também foi atribuído a ele o recebimento de dinheiro para aditar e renovar contratos de empresas prestadoras de serviço com a Prefeitura Municipal.  

Marsala foi intimado pelo Gaeco a depor na segunda fase da Operação Midas, no dia 20 de setembro. Na ocasião, a sede do Gaeco, no Parque dos Poderes, ficou repleta de intimados, entre eles vereador, ex-vereadores e  cerca de 20 empresários, que foram chamados para prestar depoimento. 

Já em outubro, o MPE denunciou à Justiça André Scaff, Jean Michel Marsala Junior e mais 20 empresários.

Veja também