Menu
quarta, 21 de outubro de 2020
Política

Marquinhos critica atraso para investigar Energisa e diz que agora só Aneel terá solução

Prefeito diz que a concessão é federal e a Câmara não teria condições de analisar o caso

28 janeiro 2019 - 13h56Por Rodson Willyams

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) disse, nesta segunda-feira (28), que somente a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) pode resolver o problema de cobranças abusivas na energia elétrica em Mato Grosso do Sul.

Apesar dos parlamentares da Capital terem tomado a iniciativa de buscar explicações e cogitarem até abrir uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), a Casa de Leis não teria competência, uma vez que a concessão de energia é federal.

"Não adianta fazer decalque, bater panelas, promover carreatas. Tem que ir com argumentação técnica e com equipe. Sentar na Agência Nacional de Energia Elétrica e debruçar as planilhas e demonstrar que os números que eles jogam para a gente não são tão reais quanto o que a gente tem aqui no nosso Estado", diz.

Enquanto deputado estadual, o prefeito Marquinhos atuou contra os abusos da concessionária de energia elétrica no Estado e até uma CPI foi instala na época para investigar a então Enersul. "Nós saímos da terceira tarifa mais cara do país para a 24ª tarifa mais barata do país", comentou.

Por isso, ele critica a omissão da Assembleia Legislativa, que chegou a criar uma nova CPI, mas não levou as denúncias pra frente. "Por incrível que pareça, nesses dois anos, só no passado, o valor do quilowatts/hora subiu mais de 30%".

E emendou: "a gente só sente quando as coisas acontecem, brasileiro só corre atrás do desastre. Na época, a CPI seria apenas um ponto, mas teria que ter havido o acompanhamento".

Ele explica que, "agora, dia 8 de abril, vai decidir o valor de quilowatts/hora. Esse acompanhamento deveria ter sido feito desde novembro para começar a contestar as planilhas. O cuidado tinha ter sido feito em novembro, dezembro (2018), janeiro, fevereiro e março (2019). Cinco meses de trabalho. Isso ganha em transitado e julgado. Se não tiver um contraponto, não tem jeito. É peso pesado contra peso leve".

Assim, mesmo a Câmara Municipal tendo a iniciativa de questionar os preços, Marquinhos afirma que ela não teria 'competência' para tratar a questão junto a Energisa. "É uma concessão federal e não tem competência".

A mesma posição também foi confirmada pelo líder do prefeito na Casa de Leis, vereador Chiquinho Telles (PSD) que endossou o coro: "não tem competência".

Leia Também

Chuva chega tímida e refresca tarde na Vila Glória
Cidade Morena
Chuva chega tímida e refresca tarde na Vila Glória
Papa Francisco defende leis para união civil entre casais do mesmo sexo
Geral
Papa Francisco defende leis para união civil entre casais do mesmo sexo
Adolescente é apreendido após tentar esfaquear mãe que impediu compra de droga
Interior
Adolescente é apreendido após tentar esfaquear mãe que impediu compra de droga
Voluntário brasileiro morre durante teste da vacina de Oxford
CORONAVÍRUS
Voluntário brasileiro morre durante teste da vacina de Oxford