Menu
quinta, 25 de fevereiro de 2021
Política

Mourão minimiza gastos com leite condensado e chiclete: ‘pura fumaça’

Os gastos, que incluem R$ 2,2 milhões em chicletes, motivaram parlamentares a formalizar uma representação no TCU

27 janeiro 2021 - 16h10Por Diana Christie

Não foi apenas o deputado federal Eduardo Bolsonaro que saiu em defesa do presidente após a divulgação do gasto de R$ 1,8 bilhão em alimentos para o Governo Federal. O vice-presidente Hamilton Mourão alegou que a divulgação da compra de R$ 15 milhões em leite condensado é “pura fumaça”. As informações são do R7.

"Todos esses gastos são orçamentários, previsto aí alguns com despesa obrigatória, outros com despesa discricionária e foram efetuados dentro do que estava previsto do desembolso do orçamento do ano passado. [...] Se pegar o que foi gasto em anos anteriores, estará mais ou menos no mesmo patamar. Então é isso, faz parte dessa pressão que está sendo feita em cima do nosso governo", disse.

O portal de notícias Metrópoles indicou que o valor é 20% maior do que o de 2019. Sobre o aumento, Mourão comentou que "tem que olhar isso aí" e citou a Operação Verde Brasil 2, das Forças Armadas, para combater o desmatamento e as queimadas na Amazônia. Segundo ele, a força-tarefa exigiu a liberação de crédito extraordinário, bem como os esforços para o combate à covid-19. "Talvez aí esteja os 20%", acrescentou.

Os gastos, que incluem R$ 2,2 milhões em chicletes, motivaram parlamentares a formalizar uma representação no TCU (Tribunal de Contas da União) pedindo investigação sobre as compras do Executivo. Mourão minimizou a iniciativa. "A Controladoria-Geral da União acompanha esses gastos o tempo todo, isso não tem nada a ver, (é) gasto orçamentário".