ENTREGAS
(67) 99826-0686
ENTREGAS

Tirando foco das denúncias, Marquinhos quer lista de frequência do governador e colegas

Candidato foi acusado de ser servidor fantasma e agora dispara contra ex-deputados

8 OUT 2016
Airton Raes
07h00min
Foto: Geovanni Gomes

Após surgir suspeitas sobre nepotismo e servidores fantasmas, o candidato a prefeito de Campo Grande, deputado estadual Marquinhos Trad (PSD), resolveu partir para o ‘ataque’ e solicitar a relação de todos os servidores nomeados na Assembleia Legislativa e Tribunal de Contas desde 1986, mesmo ano em que foi nomeado. Entretanto, esta é a primeira vez desde que tomou posse como deputado, em 2007, que ele faz requerimento à mesa Diretora solicitando informações internas e sobre funcionários da Assembleia Legislativa.

Marquinhos Trad se defende das acusações de que foi nomeado na Assembleia Legislativa em junho de 1986, ao mesmo tempo que cursava a faculdade de direito no Rio de Janeiro. O diploma do parlamentar data de dezembro de 1986, o que levantou a dúvida de que Marquinhos supostamente teria sido funcionário fantasma da Casa de Leis.  

Também surgiram denúncias de que a irmã de Marquinhos, Fátima Trad, também foi nomeada pelo pai Nelson Trad, na Assembleia Legislativa. Também foi noticiado de que Marquinhos tem o seu genro Murilo Barbosa Vieira nomeado como assessor no gabinete de seu sobrinho, vereador Otávio Trad (PTB).  

O Ministério Público Estadual abriu dois inquéritos entre 2007 e 2016 para apurar a nomeação de Marquinhos Trad. Entretanto, nessas situações, Trad não solicitou à mesa Diretora a relação de todos os comissionados da Assembleia para se defender do MPE.

Em seu histórico de requerimentos para a Mesa Diretora da Assembleia legislativa de Mato Grosso do Sul, Marquinhos tem o maior número de requerimentos solicitando reserva do plenário da Casa de Leis para formaturas, agendamento de audiências públicas, solicitando a implantação de uma agência do Procon na Assembleia. Em dez anos como parlamentar, este é o primeiro requerimento solicitando informações sobre funcionários da Assembleia.

No meio da enxurrada de denúncias envolvendo nomeação de parentes e sobre supostos pagamentos sem trabalhar, Marquinhos Trad apresentou requerimento para abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito para fazer um levantamento de todos os servidores que foram e estão lotados nos gabinetes da Assembleia e do Tribunal de Contas do Estado.

Marquinhos também apresentou um requerimento à Mesa Diretora solicitando folhas de frequência e registros de ponto dos deputados Beto Pereira (PSDB) e Rinaldo Modesto (PSDB). Trad também quer a lista de frequência do secretário de Fazenda e presidente estadual do PSDB, Marcio Monteiro, e do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), no período em que foram deputados estaduais, bem como de assessores e funcionários dos parlamentares tucanos.

Veja também