TCE MAIO
(67) 99826-0686
Camara Maio

PP não poderia expulsar vereador, defende advogado

Expulsão

17 JAN 2014
Marcelo Villalba
12h59min
Foto: Reprodução

Com a justificativa de traição partidária o Partido Progressista de Campo Grande (PP) resolveu expulsar o vereador Waldecy Chocolate. 

Para o presidente da Comissão de Ética, Disciplina e Fidelidade Partidária do PP, Ulisses Duarte, disse que o vereador foi infiel e que em um jogo não pode haver pensamentos contrários. “É como no futebol, não podemos marcar gol contra, a nossa analogia é essa”, comenta.

Até o momento a expulsão do vereador Chocolate do partido, ocorreu por conta da abertura da Comissão Processante. No dia da votação Chocolate foi a favor da processante. Em explicação sobre a alegação da expulsão o advogado do vereador Rodrigo Pimentel, disse que Chocolate não agiu de má fé. E desconhece a informação de que ele não é mais integrante do PP.

“Na verdade até hoje não temos conhecimento dessa expulsão. Ele não foi notificado”

Ricardo disse ainda que o partido não pode tomar uma decisão como esta, pois o que existe em Campo Grande é uma comissão provisória onde o presidente foi instituído pelo PP nacional.  “Se for viável iremos recorrer ao nacional para que não descredencie, até porque não é da vontade do Chocolate deixar o partido”.

Segundo ele, vereador deve estar na cidade na segunda-feira (20). “Semana que vem ele deve estar na cidade, quando formos notificados vamos tomar as medidas cabíveis, inclusive no TER, para que não haja o descredenciamento dele”, comenta.

Essa não é a primeira vez que um integrante do grupo partidário do PP é expulso, em 2013 o deputado estadual Lídio Lopes, foi expulso por infidelidade na campanha eleitoral de 2012.

Na ocasião o deputado sofreu varias investidas para perder o mandato que tinha ocupado recentemente, além de tentar impedir a expulsão do partido com um mandato de segurança.

Históricos

Outro episodio que deixou Chocolate mais frustrado com o chefe do executivo municipal, foi à exoneração da mulher dele do cargo no Instituto Mirim.  E em dezembro o partido abriu o processo ético contra o parlamentar. Segundo o PP “ele não obedecias às orientações impostas pelo partido”.  

O pedido também partiu do líder da bancada na Câmara, vereador Cazuza.  Logo após a votação da abertura da Processante.

No inicio do mandato Chocolate era visto como melhor amigo do prefeito Alcides Bernal, e um mal entendido entre eles teria afastado ambos.

 Outros

Essa não é a primeira vez que um integrante do grupo partidário do PP é expulso, em 2013 o deputado estadual Lídio Lopes, foi expulso por infidelidade na campanha eleitoral de 2012.

Na ocasião o deputado sofreu varias investidas para perder o mandato que tinha ocupado recentemente, além de tentar impedir a expulsão do partido com um mandato de segurança.

O PSDB também expulsou dois integrantes da sua casa. O suplente de vereador e secretário municipal de Educação, José Chadid e a secretária municipal de Esporte, Leila Machado. Ambos por infidelidade partidária.

Veja também