TCE Novembro
Menu
segunda, 29 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
ALMS - NOVEMBRO
Política

Pauta trancada na Câmara trava R$ 16,5 milhões de projetos do Executivo

31 março 2016 - 09h22Por Rodson Willyams

O presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, vereador João Rocha, do PSDB, garantiu que enquanto o prefeito Alcides Bernal, do PP, não conversar com os professores a pauta na Casa de Leis continuará trancada para projetos encaminhados pelo Executivo. O valor dos projetos enviados somam R$ 16.5 milhões e seguem parados no Legislativo municipal.

Dos dois projeto, um é uma suplementação no valor de R$ 4 milhões e outro é referente a um empréstimo no valor de R$ 12,5 milhões para atualização de tecnologia na prefeitura."Hoje a pauta está trancada. Enquanto o prefeito não conversar com os professores, ela continuará assim", disse Rocha.

O impasse com o professores permanece indefinido, uma vez, que o prefeito aceitou o prazo feito pelos próprios docentes de receber uma resposta da prefeito no prazo de 40 dias. A classe mudou de ideia e solicitou 15 dias, mas o pedido não foi aceito pelo prefeito. Os professores foram à Câmara para pedir ajuda aos vereadores, mas até o momento, nenhuma reposta foi encaminhada. Em razão disso, a pauta ficou trancada na Câmara.

Assistência Sociais

O fato dos projetos do Executivo estarem paralisado na Casa de Leis, representantes de 20 entidades sociais e comunitárias liga ao Fórum Permanente de Entidades Não Governamentais de Assistência Social (FPENGAS) estiveram na última terça-feira (29), presente na Câmara Municipal para pedir o repasse da subvenção social referente ao ano de 2016.

De acordo com o presidente João Rocha, o fato do prefeito ter encaminhado o projeto sem dar muitas explicações fez com o projeto ficasse parado. Cerca de R$ 1,8 milhão dos Assistentes Sociais estão englobados em um projeto encaminhados no valor de pouco mais de R$ 4 milhões. As entidades reclamam que estão passando dificuldades.

"Mas será mesmo que isso não é mais desculpa para ele não querer cumprir com as suas responsabilidade"?, duvidou o presidente. "Tudo isso nós estamos analisando. O projeto está na Casa e estamos analisando com lupa. Nós não vamos dar atestado para uma pessoa usar a Câmara, ele não tem mais argumentos para falar da Câmara. Ele não vai criar fato novo em cima da Câmara de Vereadores de Campo Grande.

Segundo o vereador José Chadid, do PSDB, um novo projeto deve encaminhado hoje à Casa, com somente o valor de R$ 1,8 milhão destinados somente aos Assistentes Sociais. "Se não der certo, vamos apresentar uma emenda ao projeto inicial. O problema é que ele não explicou o que são os demais recursos anexados ao projeto de suplementação. Mas vamos ver esse problema dos Assistentes com urgência", disse.

Outro projeto

Há outro projeto encaminhado recentemente à Câmara Municipal pelo Executivo sobre o pedido de autorização no valor de R$ 12,5 milhões destinados a modernização administrativa e fiscal. Para o vereador Chiquinho Telles, do PSD, o prefeito Alcides Bernal teria que ter outras preocupações mais importantes e emergenciais para cidade.

"Ele teria que encaminhar projetos mais importantes. Não encaminhar projetos para gastar um valor tão alto, para ter mais fios. Há coisas mais urgentes na administração em que as pessoas precisam de ajuda e um projeto desse não seria para esse momento", finalizou o parlamentar.