GOV AGEMS
Menu
quarta, 08 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Política

Pedra decide voltar ao PDT; Dagoberto comemora e alfineta Orro

22 março 2016 - 08h23Por Dany Nascimento

Ao que tudo indica, a saída do deputado estadual Felipe Orro do PDT não deixou a legenda "enfraquecida". Pelo menos é o que defende o presidente regional do partido, deputado federal Dagoberto Nogueira, que com o 'adeus' de Orro, comemorou o retorno do secretário de Municipal de Governo da Capital, Paulo Pedra, à legenda.

Para Dagoberto, Pedra tem uma representatividade política maior para a sigla partidária do que Felipe Orro, mesmo com seu mandato de vereador cassado por compra de votos. "O Pedra tem uma ideologia política importante para o partido, A saída de um deputado nunca é boa para um partido, mas a volta do Pedra fortalece muito o partido", afirma Dagoberto.

O presidente afirma que Pedra havia deixado o partido diante da possibilidade da legenda lançar Felipe Orro como pré-candidato a prefeito da Capital e como o pedido do parlamentar foi negado pelo PDT, Pedra aguardou a saída do deputado para voltar ao ninho pedetista.

"Ele deixou o partido porque achou que daríamos o que o Felipe queria, que era ser pré-candidato pelo partido. Mas isso não aconteceu e no mesmo dia que o Orro deixou o partido, conversei com Paulo Pedra que voltou a fazer parte do PDT e temos muito o que comemorar com esse retorno", diz Dagoberto.

De acordo com presidente, o partido decidiu que o nome do pré-candidato a prefeito só será definido no final de junho, após realizar diversas pesquisas diante dos nomes disponíveis para entrar na disputa.  Dagoberto e a deputada federal Tereza Cristina aparecem entre os nomes mais fortes para entrar na disputa.

Questionado sobre a possibilidade de Pedra concorrer à prefeitura, Dagoberto afirma que ainda não tomou conhecimento se existe essa possibilidade, após a cassação de seu mandato como vereador.

Dagoberto afirma ainda, que é possível que a legenda deixe de lançar pré-candidato para apoiar algum partido político, mas que isso também só será discutido com o resultado das pesquisas que serão lançadas em abril, maio e junho nas mãos.