(67) 99826-0686

Puccinelli e Marun entram com representação contra policial civil de Iguatemi

Os políticos devem protocolar o documento na segunda-feira na Capital; Policiais negam versão

24 SET 2016
Rodson Willyams
17h57min
Foto: Reprodução / Facebook

De acordo com a assessoria de imprensa do ex-vereador e ex-vice-prefeito de Iguatemi, Carlos Adão Nogueira Lopes, do PMDB, coube ao ex-governador André Puccinelli e ao deputado federal Carlos Marun, ambos do mesmo partido, fazer uma representação contra um policial civil que teria sacado a arma e ameaçado moradores ao invadir um comício na noite de sexta-feira (23), no município. 

Após o incidente, a assessoria explicou que o candidato manteve a sua agenda de campanha normalmente e que no final da tarde de hoje (24), faria um comício em um assentamento da cidade. "O importante é que nada aconteceu, como foi divulgado pelo Marun. É claro que algumas pessoas acabaram indo embora, mas todos permaneceram e fizeram o comício em respeito aos que estavam presente. Logo depois ficou acertado que Marun e o Puccinelli farão uma representação na segunda-feira (26), em Campo Grande sobre o caso". 

Para este domingo (25), o candidato que possui coligação com o Partido dos Trabalhadores fará uma caminhada pelas ruas do município, ao lado do ex-governador e atual deputado federal Zeca do PT. "Nós temos vereadores do PT coligados e amanhã o Zeca estará presente aqui. Nós vamos fazer caminhada pela cidade". 

Carlos Adão é do PMDB e tem como vice-prefeito, o vereador Edson Barbosa, do PR, ambos disputam a prefeitura de Iguatemi. A coligação conta com 10 partidos sendo PEN, PROS, PSC, PV, PR, DEM, PTN, PHS, PR, PMDB e PT. Além, de Puccinelli e Marun, o deputado Lídio Lopes, do PEN também estava no evento.

Marun
Pelas redes sociais, Marun se pronunciou sobre o caso envolvendo o policial civil. "Após o término do comício, recebemos a informação que o agente provocador é um policial civil chamado Ricardo que estava de plantão e que deixou a delegacia com o evidente objetivo de causar a confusão que causou. Não havia policiais militares no local, os quais compareceram a partir da solicitação da nossa parte. Fiz contato com o diretor-geral de polícia, Dr.Marcelo Vargas que solicitou o deslocamento do delegado regional de Naviraí, Dr. Claudineis Galinari para Iguatemi, perante quem registramos Boletim de Ocorrência.Trata-se de fato grave e que não pode ser entendido no âmbito de normais desavenças de uma campanha política".  

E ainda afirmou que deverá tomar as medidas necessárias, "solicitaremos na próxima segunda-feira a todas as instâncias competentes que providências sejam tomadas, inclusive com a participação de Forças Federais para que seja garantida a lisura do pleito em toda região de fronteira. No mais, continuamos percorrendo pacificamente o estado, levando o nosso apoio àqueles cuja eleição consideramos ser o melhor para o Mato Grosso do Sul". 

Outra versão 
A reportagem tentou localizar o delegado Claudinei Galinari, mas não obteve resultado. Porém, por meio de informações extra-oficiais, policiais que não quiseram se identificar, revelaram que o agente foi encaminhado para a delegacia de Iguatemi para prestar esclarecimentos. E que o mesmo só teria sacado a arma porque um grupo de pessoas teria partido para cima do policial e que a atitude foi uma medida de defesa. O caso segue sob investigação. 

Veja também