(67) 99826-0686

Reinaldo estuda acomodar vice-governadora em nova secretaria

Por enquanto, Rose mantém agenda de vice-governadora e vai à Brasília discutir recursos para MS

8 NOV 2016
Diana Christie e Dany Nascimento
11h31min
Foto: Geovanni Gomes

Fora da Sedhast (Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho), a vice-governadora Rose Modesto (PSDB) pode ocupar outros espaços na administração tucana nos próximos dias. O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirma que está dialogando com a vice e ainda não bateu o martelo sobre a questão. “Sentei com ela ontem (7)”, afirma.

Rose deixou a Sedhast em março deste ano para concorrer à prefeitura de Campo Grande. Após a derrota nas urnas para o candidato Marquinhos Trad (PSD), ela tirou uma semana para descanso e retornou nesta segunda-feira apenas para a função que foi eleita em 2014.

Por enquanto, Rose segue cumprindo com a agenda programática de vice-governadora. Hoje, segundo o governador, ela está em Brasília reunida com a presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Carmem Lúcia representando Mato Grosso do Sul em encontro com representantes de outros 16 estados.

Também participa da reunião o ministro Luís Roberto Barroso, que é o relator da ação judicial movida por estados que tentam aumentar os repasses da União sobre o valor arrecadado com a repatriação de dinheiro de brasileiros enviado ilegalmente para o exterior, conforme lei de autoria do ex-senador Delcídio do Amaral.

Dos R$ 50,9 bilhões arrecadados pela União, apenas R$ 12,7 bilhões, que foi obtido com Imposto de Renda, deve ser dividido entre estados e municípios. De acordo com o Globo, 12 estados, inclusive Mato Grosso do Sul, já procuraram o STF para pedir que o valor arrecadado com a multa também seja repassado aos gestores. 

Veja também