Menu
quarta, 23 de setembro de 2020
Política

'Relações perigosas': Flávio Bolsonaro homenageou integrantes de grupo de extermínio

Oficiais faziam parte da "guarnição do mal", entre os crimes cometidos pelo grupo estão o sequestro, tortura e extorsão de três jovens em 2003

03 fevereiro 2019 - 14h15Por Da redação / Extra Online

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), enquanto ainda era deputado estadual pela Assembleia Legislativa do Rio (Alerj ), promoveu homenagens a sete companheiros de batalhão do ex-capitão da PM Adriano Magalhães da Nóbrega, apontado pelo Ministério Público do Rio (MP-RJ) como chefe da mílicia do Rio das Pedras e do chamado "Escritório do Crime".

Os oficiais eram lotados no 16º BPM (Olaria), integravam um grupo conhecido como "guarnição do mal" entre as comunidades da Zona Norte da cidade e receberam moções de louvor na Alerj em 4 de novembro de 2003, ainda durante o primeiro mandato de Flávio na Casa. Só mais um PM da ativa foi homenageado na ocasião: Fabrício Queiroz, que viria a ser assessor parlamentar de Flávio.

Cerca de um mês depois, Adriano e os mesmos colegas do GAT (Grupamento de Ações Táticas) se envolveram no sequestro, tortura e extorsão de três jovens da favela de Parada de Lucas, na Zona Norte. Até que em 27 de novembro daquele ano, eles foram apontados como os executores do morador Leandro dos Santos Silva, de 24 anos.

Leia Também

Pilantra: mulher finge estupro para ganhar seguidores em redes sociais
Geral
Pilantra: mulher finge estupro para ganhar seguidores em redes sociais
Covid-19 mata mais 869 brasileiros em 24 horas, lamenta Ministério da Saúde
Geral
Covid-19 mata mais 869 brasileiros em 24 horas, lamenta Ministério da Saúde
Ladrão com faca invade casa de madrugada e morador 'mete bala' no Tijuca
Polícia
Ladrão com faca invade casa de madrugada e morador 'mete bala' no Tijuca
Dia das Crianças: Paulo procura voluntários para fazer alegria no Vespasiano Martins
Algo mais
Dia das Crianças: Paulo procura voluntários para fazer alegria no Vespasiano Martins