(67) 99826-0686
REFIS FEV.

Rose se compromete a reestruturar postos de saúde e investir na atenção básica

Se eleita, candidata também pretende construir centro de diagnósticos médicos na Capital

29 AGO 2016
Diana Christie
12h03min
Foto: André de Abreu

Candidata à prefeitura de Campo Grande, a vice-governadora Rose Modesto se comprometeu em investir principalmente na saúde preventiva. Segundo ela, os postos de saúde precisam ser reestruturados com a contratação de mais médicos, valorização dos profissionais e fornecimento contínuo de equipamentos e remédios. O objetivo é garantir o atendimento mais humanizado.

“Vamos começar com a mais importante questão que é da saúde de atenção básica. Vamos reestruturar a carreira desses profissionais de saúde porque o atendimento nos postos não funciona e a pessoa acaba no hospital. Se ela não é atendida, medicada, o problema fica mais sério e vai parar no atendimento de alta complexidade. Tem que ter remédio, farmácia, médico, um administrativo motivado, com estrutura para fazer diagnósticos precisos”, explica.

A vice-governadora também promete a construção de um Centro Médico de Especialidades Médicas e Diagnósticos. Planejado para garantir a realização de exames de rotina necessários para o diagnóstico das doenças, o local deve agilizar o sistema de exames do SUS (Sistema Único de Saúde), que muitas vezes não é realizado  por problemas nos equipamentos ou pelas grandes filas de espera.

“Vamos entregar um Centro de Especialidades Médicas e Diagnósticos porque muitos pacientes recebem o pedido de exame, vão embora com o pedido e não conseguem fazer o exame, assim o médico não consegue dar o diagnóstico necessário. Até isso acontecer vamos ter parceiras com centros de diagnóstico que já existem, pagando valores da tabela do SUS, como foi a Caravana da Saúde, para dar atendimento imediato”, destaca.

Rose ainda enfatiza que a medida emergencial, a ser implantada em um eventual início de governo, é paliativa e não significa a terceirização dos serviços. “Não vamos terceirizar a saúde em Campo Grande porque temos um quadro de profissionais com capacidade. O que não se tem hoje é prioridade da prefeitura. Para dar qualidade no atendimento tem que querer e entender os problemas da população”.

Entre outros projetos, a candidata estuda investimentos para acelerar a conclusão do Hospital do Trauma e aumento nos repasses para o Hospital do Câncer, que atende grande parte da demanda de pacientes do SUS. Também planeja investir no trabalho de prevenção a doenças, com diálogo intensivo junto aos agentes comunitários de saúde e de combate a endemias.

“O trabalho para investir na prevenção à dengue faz toda a diferença. Vamos conversar com os agentes. Existe hoje já um diálogo e, em nosso plano de governo tem algumas demandas que estão sendo passadas por eles. Vamos fazer um programa ouvindo eles, que estão dentro das casas, em contato direto com a população todos os dias”, enfatiza.

Por fim, a tucana fala de mal entendido durante entrevista a um programa de rádio da Capital, realizada na manhã de hoje (29), onde ela teria dito que a saúde é prioridade zero para a sua gestão. “Eu digo prioridade zero porque não dá para esperar mais nada. Trocaram o sentido da palavra de forma ruim, mas o que eu queria dizer é que a saúde tem prioridade máxima, deve ser o maior investimento do meu governo”.

Veja também